sábado, 24 de março de 2012

FOLHA GRAVADA




Quantas poesias te escrevo
Em folhas de tinta branca
Que só tu entendes
Todo o meu sentimento

Em cada folha há ardor
De te querer para mim
Teu abraço, o teu colo
Olhares de palavras sinceras

Beijos de nossas vontades
Em nós dados nas almas
Sentirmos o calor de nós dois
Deliciosamente colados

Como nos queremos, eu e tu
Nestas missivas gravadas
Nossos corações têm um tesouro
Escritas em folhas de tinta branca

Esta folha está gravada
Nos olhos da minha alma
Todo um sentimento tido
E uma paixão guardada…

SAUDADE INCONTIDA




O sol despede-se à tardinha
Entre nuvens e o vento
Na paisagem que suaviza que alma

Há nostalgia de quem vê
Mesmo que à distância
Pois o coração não esquece
O pulsar no cheiro da Terra Amada

Não há pincéis que pintem
Nas telas mais coloridas
De uma saudade incontida
Fazendo rolar lágrimas teimosas
Pelas rugas do tempo de tristeza

Gota a gota
Vão caindo no regaço
Como estrelas mais brilhantes
Nas noites enluaradas
Da minha querida Angola…

PASSOS MARCADOS




Caminhando na areia molhada
Meus pés ficam marcados
De eu seguir em frente

Virão ondas que apagarão
Os rastos nelas deixadas
Mas meu sentimento profundo
Está gravado no meu peito

Sigo sem olhar para trás
Num momento presente
Para um preparo do futuro
Em que meus olhos sorriem
Querendo abraçar o mundo

Passo a passo
Suavemente
Molho os pés no mar de minh’alma
Dando forças e energias
No prosseguir da jornada

Não há lágrimas, nem dor
Simplesmente amor…

AO SOM




O baile vai começar
À luz do entardecer
Olho a última folha de Outono
Que o vento não levou

Restou um violino
Para a nossa melodia
Que soará baixinho
Só para nós

Sinto tua presença
Sem tempo como a brisa
Para o deleite da suavidade
Entrelaçada em nós

Olhos que sentirão
Mãos degustando sentidos
No cadenciar dos corpos
Envolvidos no calor do momento

Sons que deixarão
Tremer nossos lábios
Para um beijo pedido
Sem palavras …

sexta-feira, 23 de março de 2012

MAIS VIVA




Quero lavar meu espirito
Num céu azul postado
Sozinha comigo
Mas longe da solidão

Sentimentos de minh’alma
Se aquietarão por fim
Fechando os olhos verei
Tua presença em mim

Teu abraço sentirei
Ombro e colo que preciso
Tua voz dizendo baixinho
“Não estás sozinha, estou aqui!”

Em cada flor que colher
Sentirei a liberdade
Quero-me sentir mais viva
Por ti, por nós o farei…

SOMBRAS COLADAS




Caminho estrada fora
De sombras coladas
Com um passado presente
Na ausência de ti

Onde está a tua mão na minha
O aconchego do silêncio
Os olhares que se perdiam
No doce viajar até ao infinito

Minha mão vazia de nada
Numa solidão que te procura
Nas sombras unidas
Gritando teu nome em mim

Mostra-me tua presença
Em minha alma dorida
De nossas vontades queridas
Para um futuro sonhado…

quinta-feira, 22 de março de 2012

OLHAR PROFUNDO




Vejo-te
Porque é a ti que quero ver
Olho sem falar
E medito cada palavra

Minha alma sente
O que os lábios não dizem
Meu profundo olhar
Silencia promessas ocultas

Olhos espelhos da alma
Diz-me que te direi
Que em afagos e carinhos
Deliciam tua paixão

Penas que nos cobrem
Para que valem?

Nossos sentidos degustam
O despir dos corpos
Ao prazer do olhar

Vês-me
Porque é a mim que queres ver…

NOSSA MÚSICA




Nossos corpos se tocam
Qual notas de um piano
Em melodia suave

Dedos percorrem
Com um arrepio
Sentimento

Mãos se cruzam
Acordes dão-se
Se encaixam
Como nós

Existe paixão
Amor
Entrega
Da música que sabemos de cor

Queremos mais
E...mais
Até se dar o acorde final…

(...)



Senti meu colo vazio
Numa noite sem dormir
Com pensamentos sem palavras
De folhas em branco de nada

Brilham luzes na escuridão
Como o aquecer de mim
Pulsando na minha alma
A dor da solidão…

quarta-feira, 21 de março de 2012

ESTRELA GRAVADA




Refletindo junto ao mar
Apareceu uma estrela
Nas águas límpidas da praia
Parecia ter caído do céu
Para meus segredos arquivar

Não brilhava
Mas foi exclusiva
Porque no meu coração guardei
Gravando toda a reflexão
Para não estragar a estrela

De tão grande importância
Ainda hoje a conservo
Memórias não esquecidas
Segredadas a uma estrela
Algures numa praia
Que esculpi na minha alma

O mar traz-nos mistérios
Para resolver no nosso Ser
O resultado está em nós
Desvendar e…saber guardar …

GUARDIÃO AO POR DO SOL




Ao entardecer
Guardas almas num rio calmo
Na ponta da piroga que te resguarda

Esperas as estrelas no céu negro
Como sentinela ao seu tesouro
Para contares segredos
Que tua boca calará

Brisa corre quente
Do por do sol
E da chuva que não cai
Fazendo escaldar a terra vermelha
Levantado o pó da saudade

Alerta e atento
Ao deslizar de um rio
Onde raízes profundas ainda choram
Fazendo transbordar tantas lágrimas
Contidas nas feridas causadas

Tua vara é teu guião
Imponente e majestoso
Mostras que mesmo sozinho
És guardião de terra sem medida…

POETAS




Ah Poetas
Que gritam aos ventos
Seus pensamentos
Dores e paixões
Em tempestades
Arrancando da alma
Esventrando do Ser
Angústias choradas

Ah Poetas
Semeiam Amor
Nas palavras que sentem
Escritas com ardor
Vibram em desejos
Explodindo
Em segredo
De ais abafados

Ah Poetas
Passeiam
Viajam na imaginação
Que afagam encantos
Uivando ao Luar
Em fantasias fatais
No silêncio da noite
Igual a um conto de fadas

Ah Poetas... Poetas
Perfeito o seu sentir…

VENCEDORA




Escorreguei em becos lamacentos
Cairei as vezes que forem precisas
Levantando-me outras tantas
Mas implorar… isso NÃO

De joelhos e mãos sangrando
Com alma em chaga aberta
Meu coração chorará
Mas no meu rosto nada se verá

Irei por caminhos, estradas
Desvendarei florestas inexploradas
Mas por mim própria
Para por fim lavar a lama que carrego

Eu sei do que sou capaz
Mesmo sozinha
Mostro meu valor
Na derrota e na luta
Eu sou vencedora…

terça-feira, 20 de março de 2012

NOITES DE ÁFRICA




É bom recordar
Com sabor a nostalgia
Noites de magia pura
Quando ao longe os batuques
Ao som do luar
Batiam forte os corações

Das planícies às savanas
Terra vermelha vibrava
Cânticos sentidos em vozes roucas
Com a firmeza das danças
No ondular dos corpos

Minha Terra é tão grande
Que desde o deserto a Cabinda
Batuques diferentes se ouvem
Misturando as cores das roupas
Com as missangas de enfeites

Quero voltar a ouvir
Batuques da minha terra
Em noites de lua cheia…

NOITES QUE ESCREVO





Escrevo em murmúrios
Palavras caladas, sentidas
Que meus lábios não dizem
Mas que o olhar fala

Sinto tua mão deslizando
Em carícias suaves
Como o toque da brisa
Que pela janela trazendo teu cheiro

Solta-se o vento
Sob tua presença
Deixando a escrita
Que não faz sentido

Fecho os olhos à luz da lua
Que atravessa a vidraça da minha janela
Mais forte clareia o nosso querer
Farol que norteia a própria vontade…

A TI, PAI




As velas apagaram-se
Mas o silêncio comunga a dor
De quem partiu sem retorno

Na foto sorris ainda
Sereno com que partiste
Mas levando também
A tristeza de não voltares a ver
O chão que te viu nascer

Prometi junto ao mar
E hoje voltei a fazê-lo
Por ti, por mim, por todos
Que um dia havia de lá voltar
Com as minhas mãos agarrar
E pelos dedos escorrer
Terra vermelha que nos viu nascer

Flores tiveste em vida
Com que amor as cuidavas
Fossem as mais singelas
Ou mesmo as mais delicadas

Hoje sinto que o orvalho
És tu que estás a tratar
Do mais belo canteiro
Que possa existir no Céu…

segunda-feira, 19 de março de 2012

RASGA O VESTIDO




Rasgas meu vestido
Porque me queres assim
Sentires toda a volúpia
Por nós tida
Por nós criada

Entrego-me em teus braços
No calor dos lábios meus
Tuas palavras gemem nos dedos
Em murmúrios pelo meu corpo

Colamos nossos suores
Em deslizar de odores
Segredos encontrados a medo
Na delícia de pleno gozo

Restos do vestido são trapos
Mas falam mais que o momento
Em silêncio pelo chão espalhados
Perpetuam nossas vontades

Rasgaste-o
Transformaste-o…

A RODA DA VIDA




Gira e volta a vida
Na roda do tempo
Fazendo trilhar anos de vida
Para que ela pare, nunca parando
Sempre andando sem olhar para trás

E volta a girar a roda da vida
Em trilhos e atalhos percorridos
Doridos, penosos
Às vezes caídos
Continuando a girar
Sem nunca parar

Que rode a vida num tempo lembrado
Onde tudo é um pouco recordações
Nada se apaga nem rasga apenas passa
Onde giram horas da roda da vida

E a roda não para sempre a girar
Para contar a história de uma vida
Que roda em nós do passado
Se desenlaçam num presente
Para voarem rumo ao futuro
Sem nunca parar de girar…