sábado, 25 de agosto de 2012

SÍMBOLO D'ÁFRICA




África
Terra de encantos mil
De magia sem igual
Prendes com sorrisos na alma
E esperança no olhar

África
Símbolo da mulher bonita
Lutadora e destemida
Mostrando o seu poder
Nos anais da sua história
Rainha Ginga assim foi

África
Encantamento e feitiço
Em todos os rituais
Dos batuques à tardinha
Com marimbas e kissanges
Fazendo o corpo gingar

Oh África, África
De tão longe mas tão perto
Fazes-me tanto recordar…


Fátima Porto

OLHAR CALADO




Olhar de criança
Entrançado no tempo
Num horizonte perdido
De feição singular

Quero teu sorriso
No desejo d’abraçar
Sentindo o calor
Na esperança d’um querer

Observar calado
De perguntas sem respostas
Que no silêncio escondes
Na alma calma e serena

Mas…
Quero teus olhos sorrindo
Menina…


Fátima Porto

PÓ E CHUVA




Brinco na terra
Em pó que me enche o corpo
N’alegria de ser criança

Ultrapasso limites
Nas lixeiras dos crescidos
De lagoas inventadas

Lavo-me na chuva da brisa
Fresca como nuvens que passam
D’um céu azul sem fim

Olho em meu redor
E sinto uma grande dor
Senão meus olhos choravam
Por sofrer tanto assim

Sou criança calada
Mas os crescidos calam também….


Fátima Porto
Fotografia de: Adalberto Gourgel

SEGREDOS NÃO CONTADOS




Na areia molhada o sol brilha
O mar parece tocar o horizonte
Onde segredos se escondem
E as ondas parecem conta-los
Quando se espraiam

Quero um dia atravessa-lo
Percorrer o desconhecido
Desvendar mistérios

Sentada na areia da praia
Sentindo a brisa que passa
Invade-me uma doce calma e paz
Assim meu espirito voasse na maresia

Praia de serenidade
Como estás vazia
Mas que os silêncios meus não descubram
Porque os guardo como o mar
Bem dentro da minh’alma…


Fátima Porto

ESPERA DO AMOR




Amar não dói
Mas a rejeição faz sofrer
E no silêncio da solidão
Chora uma alma que sangra

Amor alterado
Em ciúme que mata
Ou perda de um amor passado
Mas amor não dói assim

Amor verdadeiro
Encobre toda a dor
Sentir-se novamente belo
Perfeitamente amado

As coisas agradáveis, como o amor
Acontecem quando menos esperamos
Mas esperá-las, não impede que aconteçam
Porque isso chama-se…o acaso!


Fátima Porto

DESEJOS AO VENTO




Peço ao vento que traga
Notícias do meu amado
Que apenas sussurra baixinho
Carícias ao seu passar

Tantas são as saudades
Ah como dói na alma
Sem sentir o teu calor
No enleio de nossos corpos

Olho para o horizonte
Sentindo tua presença
Pois a brisa chega ligeira
Trazendo perfume teu

Quanto desejo sinto
Por tua pele macia
E em palavras de silêncio
Saciar num suave beijo
Em lábios de doce mel…


Fátima Porto