quarta-feira, 29 de agosto de 2012

SOMENTE TU




Meus dedos tocam-te
Como se sonhasse
E olho sem palavras
Lendo tua alma

Mansamente
Mãos nas mãos
Sussurras o que quero ouvir

Nossos corpos enleados
Ondulam em deleite
Como barco nas ondas
De um mar de amor

Mar…
Como marcasse a distância
Mas a presença dum beijo
Degustado
Na saudade de um querer mais…


Fátima Porto

TU E EU




Leva-me contigo
Existe um vazio
Uma saudade que aperta
Serei a brisa que beijará o rosto
E mesmo que ao longe estejas
Eu quero-te

Fechando os olhos
O vento soprará ao ouvido
E no silêncio das tuas palavras
Juntar-se-ão às minhas
Tatuando os corpos de desejo

No aperto suave do abraço
Há um caminho escolhido
Dia para nos guiarmos
E noite para nos amarmos…


Fátima Porto

ALTAR DE RUÍNAS




Perderam-se anos
Esquecendo-se no tempo
O altar das preces
De lágrimas de dor
Sorrisos de alegrias

Templo um dia amado
Hoje com telhado de céu estrelado
De imagens veneradas em pensamento
Onde a paz é sentida
Em paredes desfeitas em sofrimento

De solidão por companhia
Votado ao esquecimento
Penitenciam-se as almas
Com doridas mágoas
Nas ervas nocivas que crescem

Que ventos suaves
Deslizem pelo vão das janelas
Na lembrança das orações tidas
Quando repicavam os sinos…


Fátima Porto