sábado, 3 de novembro de 2012

À CHUVA





Quero amar-te
Não importa onde
Possuir
Desejar

Não interessa razões
Pois o amor é sublime
é belo

Não importa perguntas
Porque não existem respostas
nem perguntando à lua
cúmplice dos apaixonados

Nada é parecido
ao calor
frio
Não importa banalidades
porque interessa é amar
de dia
à noite

Depois de um longo beijo
numa rua qualquer
Ao sol
À chuva
Como aceno de despedida

Então já sozinha
Sentindo esses momentos
Já a chuva se mistura
Com o sabor a sal
Das lágrimas que rolam…




Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

OMBREIRA SEM PORTA





Vim esperar-te
Ao por do sol
No casebre por nós eleito
Sem portas
E nem janelas

Vem para nosso conforto
Sem que ninguém saiba
Aliviar nossa ânsia
Viver nossa quimera

Com o chegar da noite
Nossa luz brilhará
De tão intenso amor
Que até a Lua terá ciúmes
De tanto esplendor

Vem, amor
Espero-te à ombreira
Sem porta, para entrares….

Fátima Porto
ATENÇÃO: texto registado e protegido pelo IGAC

COMO PRECISO





Tanta coisa para falar
Como sussurrando ao ouvido

Mas as palavras voam
Nesta distância que nos separa
Minha Paixão
Eu desejo o teu amor

Preciso do teu sorriso
Para consolar minha dor
Em carinhos, doces e ternos
Teus dedos despentear
Deixando meus cabelos ao vento

Teu beijo morno
Doce, insinuante
De arrepiar a pele

E dizeres baixinho
Que me queres
Para te perderes no infinito

Preciso que em murmúrio
Clames ao mundo
Nosso amor almejado…

Fátima Porto
ATENÇÃO: texto registado e protegido pelo IGAC

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

FRIO OUTONO





O Outono chegou
Mas tu não apareceste

Como as saudades são maiores
Do calor do teu abraço
Enquanto as folhas amarelecidas
Voam com a brisa já fria

Pingos de chuva
Molham meu rosto
Onde as lágrimas vão rolando

Mas as palavras
Teu olhar
O beijo
Estão presentes
Na tua ausência
Neste frio Outono…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Este texto está registado e protegido pelo IGAC

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

LUZ E CALMA





…Palavras e luz
Que se entrelaçam fortes
Mas que transmitem calma
Mesmo distantes
O vento leva suavemente…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Este escrito está registado e protegido pelo IGAC

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

ROSA VERMELHA DE AMOR





Deste-me uma rosa vermelha
Como prova do teu amor
Olhando bem nos meus olhos
Para falares à minha alma

Sua fragrância arrebatou-me
Tal qual o teu olhar
Pois li na tua alma
As palavras caladas que disseste ao coração

A rosa ficou entre nós
No silêncio de um abraço
Não havia palavras que dissessem
Tanto amor aconchegado

Minha cabeça em teu ombro
Teus braços em meu redor
Deixou de existir o mundo
Só nós dois…
E a rosa vermelha de amor…

Fátima Porto
Atenção: Texto protegido pelo IGAC

OLHARES




Cruzámo-nos…
Nossos olhares
Falaram por nós
Onde mil palavras
Não diriam tanto

Almas se abriram
Bem fundo
Deixando voar
Bem alto
O sentimento
E o querer!

Olhos transparentes,
expressivos...
Que não se fecham
Transmitindo gostos,
sonhos...

Passaria por ti
Para nossos olhares
Se voltarem a cruzar,
De longe,
Mesmo que fosse por instante...


Fátima Porto

TEU NOME AO VENTO





Gritei teu nome ao vento
Para que me ouvisses
Abri meus braços
Tal anseio da chegada

O vento levou meu brado
Mas de volta nada me trouxe
E no silêncio do mar
Espero recados teus

Olho o céu azul
O mar bate nas pedras da praia
Bramindo um choro dolente
Tal a fúria de quem nada pode fazer
Do meu grito ao vento

Meus braços estão vazios
Do calor onde teu abraço me acolhe
Vem…

Fátima Porto

O XAILE





Toco em meu corpo
Suavemente

O xaile que tapa
Vai caindo lentamente
Como pétalas de lírios do campo
Sobre a brisa que passa

Olho meus ombros nus
E sinto a maciez da pele
Que em palavras mudas
Vou calando os sentimentos
Espalhados pelo chão

Xaile que destapa
Desejos ocultos
Que por olhar descreves
E pedes subtilmente
Em silêncio

Logo se sente respiração apressada
Por um xaile que foi deslizando
Num corpo nu na ânsia do tempo
Sem tempo perfumado por ti…

Fátima Porto

O TEU BEIJO





Teu beijo
é doce,
Charmoso
Gostoso
Ternamente cheio de amor.
Inesquecível, eu sei!

Dele tenho lembrança,
Ficou saudade,
Dele tenho o sabor
para todos os minutos e horas da vida,
Em toda a eternidade,
No tempo e no contratempo.

Teu beijo
é terno e eterno,
Sincero
Suave
Leal
Meloso
Charmoso
Delicioso
Um beijo de amor!


Fátima Porto

terça-feira, 30 de outubro de 2012

SONO





Minha cama é macia
De veludo como uma brisa
Aconchego-me em lençóis de ternura
Pouso a cabeça numa almofada de esperança
E sonho com flores em redor
Perfumando a minha dor…

Fátima Porto

UM VAZIO





Sem gesto
Traço tua presença
Querendo
Em anseios
Afagar meu corpo

Ah doce loucura
Ventura dos amantes
Pois no enlear dos corpos
Saboreiam beijos
Na pele suave
Onde mãos vagam
Trilhos ocultos
Murmurando
Promessas discretas
No deleite da paixão

Mas apenas imagino
Pois tua presença
É ausente
E tudo é vazio de nada…

Fátima Porto

VEM AMAR





Quero que me ames
Voraz
Queimes meu corpo
P’lo teu desejo

Derrama em mim
Todos os teus beijos
Carentes do cheiro
D’um amar sem fim

Percorre caminhos
Encurta atalhos
E sente meu coração
Vibrar desejoso
Por te querer

Labaredas incendeiam
Um fogo louco
Que mais é sempre pouco
Fazendo transbordar
Delícias por amar assim

Vem,
Vamos amar-nos
Neste prazer que inebria
Há muito por nós desejado…


Fátima Porto