sábado, 17 de novembro de 2012

SEM PALAVRAS





Segredaste-me ao ouvido
Que sou tua
Como menina perdida

Aninho-me em teu colo
Protegida num abraço
Onde descanso, meu Amor
E acordo serena

Esta e todas as noites
Nos amaremos
E nossas bocas se irão juntar
Entre doces beijos de paixão

Em sossego
Não mais falaremos
Palavras … serão a mais!

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

AMANHECENDO





Acordo no sonho
E chove lá fora
Pois leve aragem
Vagueia em meu corpo nu

Música
Vinda da minh’alma
Extravasa
E se encaixa na perfeição
Num devaneio que me faz delirar

Som delicioso, porque tua voz
Desperta em mim
Sensações tranquilas
Desafinando
Com o dia cinzento e triste

Esqueço a nostalgia
E voo num barco de fantasia
Onde tu me aqueces e encantas…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

FOLHAS CAÍDAS





…Ventos do Outono
Esfriam minha alma
Levando com ele
Folhas caídas

Cor do sangue
Igual a um coração
Que bate descompassado
Perdido no tempo

Estigmas d’um passado
Silenciado através de pedras calcadas
Em que janelas não se fecharam
Na esperança do presente
D’um suavizado sorriso no futuro

Ventos d’Outono
Que afastas minhas angústias
Na aragem fria da tarde
Minhas mãos ficarão vazias

Deixando apenas Saudade…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

FILHA DO VENTO E DA TERRA





Rebento na terra imensa
Onde o olhar se perde
Por vezes vazio de nada
Em chão duro, seco
Repleto em pó do vento

Mesmo mal se movendo
És forte na solidão
Na alma que abarca a esperança
Agarras terra áspera
Onde colherás os frutos do teu futuro

Sou filha do vento e da terra
Entrançando raças e crenças
Num calor que trago na Alma
Todos amando no meu silêncio…


Fátima Porto
ATENÇÂO : Texto registado e protegido pelo IGAC

TERRA VERMELHA





Oh terra vermelha
Que fechando os olhos
Minh’alma sentiu teu cheiro

Deixei escorrer por entre os dedos
O pó da saudade

Embargou-se a voz
Nas lágrimas que rolavam
Levando para bem longe
Meu grito abafado

Mas não desapareceram da minha mão
As sensações,
O odor,
Do vermelho da terra que me viu nascer…



Fátima Porto
Fotografia de: Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

SENTIR





…Ao meu colo dei-te
Abraços de panos traçados
Estendido p’la mão que te enleou
No ecoar das palmeiras empoeiradas
Por uma felicidade que tardava
Numa infância de olhar vazio

Oh terra minha
Quero sentir teu vibrar
Tocando teu chão
Em lágrimas do meu ser…

Fátima Porto
Fotografia de: Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

MAGIA





No descansar do dia
Com ardor no céu
Vogam meus pensamentos
Numa brisa suave

Tenho saudades do sol quente
Numa praia qualquer
Onde as ondas calam
Em espuma no areal

Que ventos soprem meigos
Na barca de minh’alma
Para sentir tuas palavras
Ditas ao calor do coração

Tentar explicar toda esta magia?
Apenas deixo-me levar
Olhando,
E voar com a brisa…


Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

LARGO MEU CORPO





Corpo
Largado em devaneio
Sustento de alma
Rasgando
Perdões da vida
Em deriva

Prostrada
Me deixo
Enredada no véu
Que acolhe
Em sonhos
Enleada

Possui-me
Doce encanto
Espírito de fantasia
Pois o corpo
Larguei
Para ter uma ilusão

Espero em ti
Neste encanto
Em que seduzes
E me tens…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

terça-feira, 13 de novembro de 2012

SILÊNCIOS VAZIOS





Ruas vazias
Em noite sem estrelas
Onde os sentimentos calam

Nos meus silêncios
O calor de um abraço
É somente meu

Sinto-me vazia
Como as ruas lá fora

A escuridão invade-me
Fechando os olhos
E fazendo deambular o espirito
Em outra dimensão
Pois tenho por companhia
A solidão…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

PALMEIRAS NA PRAIA



PALMEIRAS NA PRAIA

Meus pensamentos
Vagueiam
Com o vento que passa
Por entre as palmeiras ao escurecer

Que vontade de voar também
De Ir para bem longe
Sem destino
Talvez

E o vento passou
Mas aqui permanece minh’alma
Na praia de quimeras
que jamais vou esquecer

Sussurrei ao vento
Que não ouviu

Mas o calor acercou-me
Na imaginação
Como melodia triste
Dolente
Das palmeiras na praia
Ao anoitecer….


Fátima Porto
Fotografia de: Adalberto Gourgel
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

DÁ A TUA MÃO





Dá-me tua pequena mão
Pois um dia assim também fui
E caminharemos juntos

Dá-me tua pequena mão
Para meu calor sentires
Junto à minha

Não importa a cor
Nem crenças
Mas desejos em comum
De darmos as mãos
E prosseguir o destino
Por nós traçado

Dá-me tua pequena mão
Meu irmão…


Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

domingo, 11 de novembro de 2012

PALAVRAS PARA ANGOLA





Vou até ti
Minha Terra
Em aviões de imaginação

Recordações de juventude
Que trazem saudades
Dos dias vividos
E emoções sentidas

Mando-te palavras d’alma
Com a beleza das acácias
Também a lágrimas empoeiradas
P’la terra vermelha crestada

Mando-te palavras do coração
Com a doçura das frutas
E dos cheiros
Que fechando os olhos, ainda sinto

Mando-te palavras d’um abraço
Forte e imenso
Como se meus braços, os ramos
Do velho imbondeiro à beira do caminho

Para ti, minha Angola
Mando-te palavras de calor
Como o por do sol à tardinha
Numa praia qualquer….


Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC