sábado, 15 de dezembro de 2012

PALAVRA SENTIDA





Ares de Outono sorriram
Ao calor de um abraço
Folhas dançam com a brisa
Por entre os ramos da vida

Perfumados num beijo
De presente união
Quanto desejo, pura magia
Faz vibrar o coração

Quantos sonhos
Tantas saudades
Se guarda dentro da alma
O tempo passa ligeiro
Com ânsia de voltar a ter

Abraços
Carícias
Beijos
Um colo para ninar
E acordar dizendo sentido
A palavra AMAR…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

FRAGRÂNCIAS




Perfumes…
Para que servem
Se mesmo à distância
Ainda sinto o teu odor

Nem as mais belas flores
Tem o teu cheiro
Vindo do beijo pelo anseio

Ventos trazem a fragrância de ti
Num calor que me abafa
No frio silêncio do entardecer

Um abraço perdido em mim
O murmurar suave da tua voz
Faz acalentar minha alma

São as asas perdidas na imaginação
Que me fazem mais perto de ti
Pois nossos odores se envolvem
Como o próprio Amor…

Fátima Porto
Fotografia de: Bruno Caratão
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

86º Programa - Fátima Porto - DIZER POESIA

86º Programa - Fátima Porto - DIZER POESIA

NAS NUVENS





Deixo-me levar p’las nuvens
Saboreando a brisa que me arrasta
Como flocos de algodão doce

De olhos fechados
Meu pensamento voa
Como em desejos, tal como eu

Que importa?

Meus sonhos transpõem o horizonte
Num querer mais
Nas palavras mudas atiradas ao vento
E nos ecos de olhares sentidos

Oh ventos,
Que me levam para lá na distância
Transformando minhas ilusões
No calor que enche a alma
As tristezas em sorrisos,
Guiem minha Alma…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

ELEITO




Em meus silêncios
Elegi-te
Nas noites sem estrelas
Elegi-te
Em minhas procuras
Elegi-te
Ao olhar o horizonte
Elegi-te
Em cada amanhecer
Elegi-te
No sentir d’um abraço
Elegi-te
Em cada palavra que não falei
Elegi-te
Deixando meus pensamentos voar
Elegi-te
Abrindo a alma ao sabor da paixão
Elegi-te


Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

MINHA SOLIDÃO




Descanso
só dentro de minh'alma
do frio que me embala
nesta solidão

Memórias que não se apagam
feridas que sagram
e eu só

Dor latejante
que me persegue
e corrói

Quero deixar de pensar
fechar os olhos
e tentar esquecer
páginas d'um livro
que não foram apagadas
e que amortalham
e ainda rasgam
vidas que não vivi

E só
vou-me aquecendo
dos restos
para não dizer que morri…


In” CAPAS” - Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

MEMÓRIAS NO PRESENTE




Os anos passaram
Numa esquina do tempo
Tantas vidas cruzaram
Memorias perdidas

Sentimentos largados ao vento
Onde cabelos brancos
Não escondem histórias
E vivências d’um tempo
Que não volta atrás

Em desejo acordado
Como que por magia,
Numa praia distante
Onde brisa suave e calma
Fez renascer à vida

Anos perdidos
Presente que existe

E futuro?
Ninguém sabe…
Escrevendo nas asas do vento
Degustando-se palavras nos olhares
No sentir quente d’um abraço…


Fátima Porto
Fotografia de:Alexandre Coelho
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

...



….

…Onde vou?
Em busca da Felicidade
Outrora perdida

Porque vou?
A vida sorriu para mim
E eu
Vou sorrir para a Vida!...


Où vais-je donc ?
A la recherche d’un bonheur
Qu’autrefois j’ai perdu….

Pour quelle raison ?
La vie m’a souris,
Et moi…
Je vais sourire à la vie !


Fátima Porto
Tradução de Jean-louis Lages
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

...



….

…O tempo e a solidão
Meus melhores companheiros

Escrevo palavras que deito ao mar
Contidas no meu peito
No silêncio e esperas
De boca calada…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

...



....

...Aguardo serena
Com saudades no coração
Que a lua brilhe
E traga a estrela mais linda
Aquecer meu coração...

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

....



....

…..Fecho os olhos
E meu pensamento voa com a brisa
Para dizer como te Amo….

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

....



…..
Na tristeza e sorrisos
Com o calor d’um abraço
Mesmo que seja distante
A alma sente o desejo

Que o Natal se transforme
Pleno em todo o Ano
Para que em cada amanhecer
Traga uma brisa suave
E seque as lágrimas do orvalho da noite fria…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

domingo, 9 de dezembro de 2012

VIVER UM NATAL





Não quero um Natal assim
Diante de tanta miséria
Nem que fosse num só dia
Mas minha alma chorando

São lágrimas de não poder dar
O que meu coração sente
Vendo a tristeza dos olhares
Em gente que vive só


No grande teatro da vida
Actores, todos nós somos
Falseando toda a “roupa”
De bondade e humildade


Queremos unir as mãos
Dar pão a quem tem fome
Mas só nos lembramos disso
Num só dia
Porque é Natal

Será que é utopia
Ter o Natal num ano
Cheio de estrelas sinceras
Ou apenas por um dia…

Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC