sábado, 5 de janeiro de 2013

NOSSO ENCANTO





Tuas mãos tocam-me
Mansamente,
Palmo a palmo
Pedindo um pouco mais

Acaricias suave o ombro
E beijas palavras não ditas
Que arrepiam a Alma
No olhar d’encantar

Afagas meu corpo
Desnudando vontades
Com sentires de quereres
Em nossa entrega

Como nos amámos
No nosso universo
E enleados continuamos
Num natural encanto….


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

QUERO-TE





Quero-te sentir junto a mim
Tristezas transformadas em sorrisos
Num caminhar lado a lado
Entre vales e planícies
De beijos e abraços

Quero-te pelo que és
No profundo do teu ser
À distância no presente e aqui
Olhando e sentindo as palavras não ditas

Quero-te amar ao pôr-do-sol à tardinha
Numa praia em que o mar bate ligeiro
Onde a brisa amena despenteia nossos cabelos
E nos faz aconchegar ainda mais

Quero-te no silêncio da noite
Quando os corações batem acelerados
Dizendo que é pouco, porque queremos mais
Mais…muito mais do nosso querer

Quero-te, não
Queremo-nos muito…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC
In “Ecos d’Alma”.

COLO TEU





Quero sentir teu colo
Onde bebo teu calor
Num abraço desejado
Por ti tão ansiado

Nos teus beijos
O doce mel
Nas línguas num bailado
Um arrepio na pele
E o cabelo desalinhado

Ficarmos bem juntos
Tão bom tal prazer
De sentir carícias
Na pele macia

Queria-me perder no tempo
Sentindo teu aconchego

E deixo levar meu pensamento
Até onde quiser parar…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

MELODIA SUAVE





Nossos corpos se tocam
Qual notas de um piano
Em melodia suave

Dedos percorrem
Com um arrepio
Sentimentos

Mãos se cruzam
Acordes que se dão
E se encaixam
Como nós

Existe paixão
Amor
Entrega
Da música que sabemos de cor

Queremos mais
E...mais
Até soar em tom de cristal
O acorde sublime
Sem final…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

NOITES ESCREVENDO





Escrevo em murmúrios
Palavras caladas, sentidas
Que meus lábios não dizem
Mas que o olhar fala

Sinto tua mão deslizando
Em carícias suaves
Como o toque da brisa
Que pela janela trazendo teu cheiro

Solta-se o vento
Sob tua presença
Deixando a escrita
Que não faz sentido

Fecho os olhos à luz da lua
Que atravessa a vidraça da minha janela
Mais forte clareia o nosso querer
Farol que norteia a própria vontade

Mas escrevo as mais belas palavras
Que o meu coração dita
Em folhas de um presente
Cheio de paixão e saudade
De mãos dadas com o futuro…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

MEDITAR





Penso em ti
Em sentimentos

Palavras soltas
Contidas
Num expressar
De um querer
Um desejo

Somos dois a conter
Reprimir almas
Num lutar
Desabafando
Com lágrimas a rolar

Esperamos…

Meu pensamento voa
Leva asas de doçura
E um calor
Que me deixa fria

Queria-te aqui
Ao meu lado
Acolhendo
O teu calor de um abraço

Mas penso
Em ti...

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

QUANDO PENSO EM TI





Quando penso em ti,
Tento suavizar
A dor que magoa o coração

Quando penso em ti
Todo o meu ser
Voa com a brisa

Quando penso em ti,
É através da distância
Que vivo nesta saudade

Quando penso em ti,
Sinto tua presença
Que envolve e aconchega

Quando penso em ti,
Fecho os olhos
E fazes parte do meu belo sonho
Que não quero acordar…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

.....



….

….Misturei fantasias
Resisti a tristezas
Convivi com incertezas

Mas hoje sigo caminho
Transpondo muros de solidão
Com a Fé que trago na Alma
E Esperança no amanhã…


Fátima Porto
Registado e protegido pelo IGAC

NA PRAIA





Fecho os olhos
Parece que tive um sonho

Vejo-nos
De mãos dadas
Na areia molhada da praia
Olhando o mar
Para além do horizonte

Em silêncio
Palavras se transformaram em beijos
Trocando carícias suaves
Na praia por nós eleita

Uma onda fria
Veio desfazer-se na areia
E nossos pés molhar

Um arrepio
Mas renovou certezas
Pois éramos um só
De desejos
E paixão

Ainda sinto
O sabor de teus beijos
Numa praia
Que por momentos
Foi nossa …

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

NEVE





…Flocos de neve que caiem e se desfazem
São como desejos
Que se perdem no horizonte
Com um olhar calado
Ocultado de gritos abafados…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC