sábado, 23 de março de 2013

EU SEI




Eu sei,
Quando o sol se põe no horizonte
As lembranças voam
E o coração estremece

Eu sei,
A noite espreita pelo silêncio
Iluminando ruas na imaginação
Sentindo tua presença

Eu sei,
O toque meigo dos beijos,
Do olhar profundo de vontades
Num aconchego de enlevo

Eu sei,
O amor não tem distância
Clamando ao vento que passa
A ausência não existe…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

VOU GUARDAR




Vou guardar todas as emoções
Todo o calor em mim
Num céu onde o sol se despedia

Vou guardar toda uma loucura
Em abraços tidos
Onde a paixão é incontida

Vou guardar nossas mãos dadas
Em corpos unidos
Lentamente pela noite fora

Vou guardar nossas palavras em olhares
Sussurradas mansamente
Em silêncio ditas, entre arrepios sentidos

Vou guardar tudo de nós
Só para nós…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

sexta-feira, 22 de março de 2013

DISTÂNCIA DISSIPADA




O relógio parou
No tempo do calor d’um abraço
Em que gotas da chuva
Se fundiam nas lágrimas
Dos beijos com sabor a sal

Minutos, segundos,
Esquecidos
Em roupas inundadas de ardor
De corpos no enlevo
Pois demorava em acontecer

Oh tempo,
Quiseras tu omitir a distância dissipada
Num momento louco de paixão,
Em que as horas, consumidas em silêncio
De quimeras nos olhares
E realidades em beijos…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

PERDIDA




Ondas do mar
Batem nas rochas
Ecoando espuma p’la praia

Minha alma voa
No ondular das marés
Em segredos não ditos
Mansamente calados

Abraço-me no horizonte
Confortando meu cansaço
Em sonhos de emoção
Dos ecos de fascinação

Perdida,
Quero alcançar-te
Nesta distância, ouvindo o mar…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

NA DANÇA




Segura bem a cintura
E cola nossos peitos
Corações em compasso
Olhares n’alma
Num desnudar de passo largo!

Um beijo
De sentimento
Sem palavras
Consentido!

Música vibra
De rodar na dança…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quinta-feira, 21 de março de 2013

MURMÚRIOS AFINADOS




Dedilha no silêncio da noite
Acordes de paixão
Segredando às estrelas
Iluminando nossa melodia

No encaixe perfeito
Trilhas a escala dos corpos
No murmúrio esculpido em nós

Murmúrios,
Em momento que é nosso
A cada instante de desejos
De corações descompassados
Mas afinados, vibram

Ao longe
O som de violinos ecoa
Leve e doce,
Como o toque e caricias
Entoado em nossos corpos…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

AMOR DA INOCÊNCIA


21 de Março - Dia Internacional da Síndrome de Down
---------------------------------------------------------------



…Oh doce espelho da inocência
Com que vais abrindo os trilhos
No mais puro e angélico amor
Aos olhos de uma criança…

Fátima Porto.

SOU CRIANÇA


Dia Internacional contra Discriminação Racial
------------------------------------------------------



Sim, tu
Que caminhas com indiferença
À minha presença
E sacodes-me como a um animal
Sou um ser que o Mundo acolheu

Sim, tu
Que nunca agradeces o que tens
Que passeio a fome e o frio também
Deixa-me sonhar em lençóis de calor
E sorrir na palavra amor

Sim, tu
Não vires a cara para outro lugar
Minhas lágrimas secaram
E transbordaram na chuva

Mas se tens Amor
Olha-me nos meus olhos
E vê a minha alma
Tesouro de um futuro

Eu sou…
CRIANÇA DO MUNDO…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

POETAS


PELO DIA INTERNACIONAL DA POESIA, se não fossem os Poetas....




Ah Poetas
Que gritam aos ventos
Seus pensamentos
Dores e paixões
Em tempestades
Arrancando da alma
Esventrando do Ser
Angústias choradas

Ah Poetas
Semeiam Amor
Nas palavras que sentem
Escritas com ardor
Vibram em desejos
Explodindo
Em segredo
De ais abafados

Ah Poetas
Passeiam
Viajam na imaginação
Que afagam encantos
Uivando ao Luar
Em fantasias fatais
No silêncio da noite
Igual a um conto de fadas

Ah Poetas... Poetas
Perfeito o seu sentir…


Fátima Porto
In “Ecos d’alma”
Texto registado e protegido pelo IGAC

DESEJO EM FANTASIA




Afaga-me na loucura
Com teu querer,
Deseja-me
Com tua paixão,
Beija-me cegamente
Com tua meiguice,
Acaricia-me mansamente
Com teus dedos

Desejo-te em fantasia
Só para mim
Em olhares profundos,
Pois proferem no calor de silêncios,
Em corpos colados num sonho
Almejando para além do limite
Ser apenas um só

Degustamos o vinho
Em beijos suculentos
Por nossas bocas tidos,
E no calor de um abraço
Querendo mais
Pois dura de tão pouco ser ….


Fátima Porto
Registado e protegido pelo IGAC

quarta-feira, 20 de março de 2013

NADA E TANTO




Como deixaste um sabor a pouco
Dos teus beijos cor de fogo
Quão doces lábios meigos
Que na minha boca sussurraram
Ecos do amor p’la distância vertidos

Palavras mudas
Nuns olhos que vêem calados
E um desejo de querer
Do nada a ser tudo
Quando nossas bocas se uniram

Beijos roubados
Consentidos
Mostrando na saudade,
Mas que nunca fora esquecido
Porque confirmou profundo amor
Aos sete ventos celebrado

Nada e tanto
Não sei
Que importa…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

PRAZER/DESEJO




No encontro da paixão
Perdidos em sonhos
Dum abraço de desejos
Em beijos de vontades

Constelações de quereres
Inspirados num luar suave
Onde estrelas, talvez as mais brilhantes
Dão impulsos inquietos aos amantes

Noites de prazer
Entrelaçados em outra galáxia
Onde não existem limites
Para tamanho anseio

Sentimentos apetecidos
Num remoinho em chama
Clamando gritos abafados
Em horizonte sem fim

Que se incendeiem corpos
Como destino de verdades fascinantes
E ardente arrebatamento
Onde promessas não têm lugar…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

terça-feira, 19 de março de 2013

A TI PAI/SAUDADE




Saudade
Palavra que atrofia o coração
Faz doer na alma
E rolar um lágrima

Saudade
De um abraço terno
Um beijo amigo
Querer bem

Saudade
De uma ausência
Que permanece
Presente
Embora escondida

Saudade
É o que sinto de ti
Dos teus carinhos
Palavras doces
Do meu colo que foi teu

Saudade
Palavra triste
Que ao dizer-te adeus
As minhas lágrimas secaram
Num grito sufocado

Tenho saudade de ti
Meu Pai


Fátima Porto
Fotografia de autor desconhecido, da Igreja de Nª Srª Pópulo-Benguela, onde o meu Pai foi batizado.
Texto registado e protegido pelo IGAC


ESTOU COM SAUDADES


ESTOU COM SAUDADES

SAUDADES do teu olhar
SAUDADES da tua voz
SAUDADES dos teus conselhos
SAUDADES até de quando ralhavas
SAUDADES de quando eu encostava a minha cabeça no teu ombro

SAUDADES...

SAUDADES de quando falávamos em silêncio
SAUDADES de ouvir o teu clamar p’la terra que te viu nascer
SAUDADES das lágrimas que derramaste por não poder voltar
SAUDADES por não te ter aqui

ESTOU COM SAUDADES, MEU PAI…

Fátima Porto
Fotografia de : Bruno Caratão - CATUMBELA
Texto registado e protegido pelo IGAC

segunda-feira, 18 de março de 2013

CADA NOITE




Pensando em ti
Cada noite que passa
Perco-me no viajar de amar
Descobrindo para além do horizonte
Locais imaginários
Por nós tidos

É no silêncio de cada noite
Que em pensamentos
Trilhamos nossos caminhos
Explorando nossa paixão
Esperando o ansiado beijo

Será em cada noite
Que o manto de ardor nos cobrirá
Deixado pelas réstias d’um sol escaldante,
Em areias, numa praia deserta
Ou num quarto vestido de nós
Onde a brisa calará corações

Trarás cada noite
O aconchego de ti
Para me sentir mais perto,
Parecendo um encaixe longínquo,
Exibindo em nós todo deleite
D’uma paixão querida

Cada noite…


Fátima Porto
Fotografia de : Adalberto Gourgel
Texto registado e protegido pelo IGAC

FOGO EM GRITO




Meu corpo
Uma fogueira
Na penumbra da noite
Que incendeia
E se destroça
Lentamente

Na alma
Queimo em chamas
Labaredas acesas
Que flamejam
Toda a crueldade

Dou gritos ateados
Aos ventos
Matizando ao meu redor
Estrelas cadentes
Com mais fulgor
E mais esplendor

Se consuma todo este fogo
No corpo e alma
Cuspindo as angústias
Vibrando um coração apaixonado
Num abraço que nos una
Com um beijo que sele
Todo este amor …


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

domingo, 17 de março de 2013

PERDIDA NO ECO DUM BÚZIO




Guardei -o fundo
No mar do meu Ser
Nas entranhas de minh’alma,
E coberto de saudades
Da praia d’onde o encontrei

Navega seguro
Nas minhas recordações,
Como as areias quentes
Dos abraços perdidos em mim

Aconchego nele
Deixando-me levar em sonhos
Até adormecer
Sem ouvir o meu eco

Em silêncio,
Vesti memórias guardadas
Tentando encontrar búzios perdidos,
Com um corpo despido de nada
Mas aquecido serenamente,
Num abraço de mim…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

EU E TU




Não digas nada,
Eu e tu somos metades
Que se completam
Por inteiro

Nada digas,
Porque palavras seriam demais
E por inteiro falamos
Mesmo que a distância
Se instale entre nós

As bocas caladas
Falam p’los nossos olhos
Em que corações ardem
Pelo nosso amor

Não digas nada,
Nossas metades estão unidas
Numa paixão que cuidam
E por ela vivemos

Tu e eu
Eu e tu
Somos apenas só um…


Fátima Porto
Registado e protegido pelo IGAC

FUTURO PERFUMADO




Pétalas são deixadas ao acaso
Nos sentimentos
Para sarar feridas nossas
Que um destino nos legou

Sem espinhos vamos unir
Flores de nossas almas
Na fragrância de beijos
E em calor de abraços

Flores velhas são passado
Que um dia por nós passou
Viveremos o presente
Num preparo do futuro
De flores novas
Perfumadas


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC