sábado, 11 de maio de 2013

SUAVEMENTE,SENTE-ME




Vem,
De mansinho, lentamente,
E sente o odor que paira no ar

É quem te deseja e quer,
Bem perto,
Sussurrando palavras de vontade
De intenso ardor

Vem,
Saciar toda uma paixão,
Voando sem pudor,
Num amor louco
Até amanhecer

Vem,
Pois nossas bocas irão murmurar
O que os olhos disserem,
No aconchego dos corpos,
Entrelaçados no prazer do amor

Vem,
Seremos o vento no silêncio da noite…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

DESEJO




O tempo não passa,
E as horas, sem minutos ou segundos,
Alheam-se à saudade,
Ignorando meu desejo

Os meus olhos anseiam ler
O desejo escrito no teu rosto,
E ver o teu sorriso,
A tristeza de tua alma,
Mas aconchegada ao teu peito


Vem depressa,
Sem pressa de voltar
Olvidando as horas,
Pois serão apenas para nós

Vamos abrir a imaginação
Que sai da alma,
Rompendo toda intenção,
Pois seremos felizes

Fico a pensar,
Porque te deixei ir?

O tempo não passa
E a saudade aumenta….

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

PENSAMENTOS




Oh pensamentos,
Que na distância torturam
Fazendo apertar o peito
Numa dor de saudade

Oh pensamentos,
Que voam ao entardecer
Trazendo o brilho das estrelas
D’uma noite sem fim

Oh pensamentos,
Que fazem dilacerar a alma
Num rolar de lágrimas no rosto
Pela tua ausência

Oh pensamentos…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

E VOU DIVAGANDO




Sou aquilo que sou,
Em pensamentos,
Imaginação,
Poetizando sentimentos
Escondidos em minh'alma
Num querer abarcar
No que nunca fui

Querendo ser alguém,
Correndo veredas,
Calcorreando atalhos
Sem fim,
Olhando o horizonte
Por distâncias
Incalculáveis
Onde o sentimento
Vê o que os olhos
Não alcançam

Como vou divagando
Como chuva branda
Num dia de calor
Para apaziguar
Minha dor!


Fátima Porto

sexta-feira, 10 de maio de 2013

TANTA COISA




Ah como tenho tantas coisas para te explicar
Se contigo eu pudesse estar agora,
Mas esta distância teima em nos afastar

Dizer-te o que meu peito sente
Mas abafa,
Estreitar-te no meu colo
Sendo o meu aconchego,
E dizer-te à minha maneira
Como te amo

Tanta coisa que te queria dizer
Que não posso contar
Da vontade de te ter em meus braços,
Pois nem precisaria escrever

Ah tanta coisa para te dizer
Que nem sei onde começar,
Mas se estivesses comigo agora,
Cobria teu rosto de beijos
Sem precisar de escrever-te

Mas como vou começar,
Se tenho tanta coisa para falar-te…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quinta-feira, 9 de maio de 2013

DEIXA-ME SER




Deixa-me ser o teu sol
A tua alegria, teu sorriso,
Aquela que te beija levemente
E que dizes, baixinho: Não pares

Deixa-me ser o que nunca fui
Em teu porto seguro
Na solidão das noites,
Entre certezas e dúvidas

Deixa-me ser a tua alma,
Num prazer desejado
Das fragrâncias murmuradas
D’um amor presente

Deixa-me ser,
Apenas nós…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

GESTOS




Fechando os olhos
Vagueio pelo teu corpo
Tacteando nas palavras sussurradas

Dispo-te livre no tempo
Com ecos de passos ligeiros
Em gestos de paixão,
Falando em silêncio

A noite acontece em nós
Quando as mãos se entrelaçam,
E os corpos se cruzam
Nas sombras de pensamentos
Dos beijos dados

Rompe-se o silêncio
Em rumores abafados
Num amanhecer desnudado,
Transbordando tudo o que há em nós…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

COMO LIDAR




Como lidar…
Se os sentimentos estão trancados
Deixando no peito uma dor?

Como lidar…
Se abafo minhas lágrimas
Para se ver meu sorriso?

Como lidar…
Se fecho os olhos
Porque a boca fala
O contrário que eles querem?

Como lidar…
Na vontade e desejo
Do calor num abraço contido?

Como lidar…
Em lábios suaves
De um beijo com sabor a pouco?

Como lidar…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quarta-feira, 8 de maio de 2013

CERTEZA D’AMOR




Ah se eu pudesse escrever
Tudo o que a minh’alma sente

Porque amar não é um sonho
Nem uma vã ilusão,
É preciso saber sentir,
E que a Vida tem motivos
Para amar e sermos amados

Quem não adormece em imaginação
Acordando nos sonhos tidos,
Sorrindo, feliz
Com a certeza que sente o Amor…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

SOU ASSIM




Sou imperfeita,
Em que não brilho,
Calo,
Não dizendo o que sinto

Sou assim,
Alegria e tristeza, intensas,
Instabilidade e insegurança,
Mágoa

Mas queria dar-te o outro lado
O melhor de mim,
Aquilo que calo
Mas que nem sempre consigo…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

....




…Desespero com esta saudade,
Porque em vez de desaparecer
Vai matando lentamente…

Fátima Porto

terça-feira, 7 de maio de 2013

ÉS CHUVA EM MIM




És como a chuva
Que escorrega em mim, suave,
Acariciando a minha pele
No ardor da paixão

Vives em meus sonhos
Como água do meu ser,
Sentindo-te em minhas certezas

E cada gota que cai
É como se teus gestos fossem,
Inundando-me de ti…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

SONHEI PAPOILAS




Esta noite sonhei,
Em verdes prados extensos
Rodeados de papoilas,
Vermelhas como o amor

Um dia, sonharemos os dois
Lentamente contra o tempo
Só nós com o vento,
Num mundo a descobrir

E nas asas desse sonho lento
Pode não haver paragens
Para emoldurar de papoilas

Porém, agora não sei
Se foi sonho ou ilusão,
Pois tudo parou no tempo
Podendo amanhã nada ser…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

segunda-feira, 6 de maio de 2013

GRAVADO




Olho para o céu,
Observando teu rosto gravado nas estrelas,
E em tudo que vejo
Existe um sinal teu

Teus olhos que brilham
Na neblina da noite escura,
E um sorriso
Ao despontar do dia

Olho à minha volta,
E só te vejo,
Como querer acariciar meus cabelos,
Ou acalmar dos medos

Mas quando fecho os olhos para dormir
Sei que és incomparável,
E que estás no meu coração…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

ONDE ESTÁS…




Onde estás nas madrugadas
Em que insónias me invadem
E meus pensamentos clamam

Onde estás quando amanhece
O sol rompendo o céu
Quando as estrelas brilharam na noite escura

Onde estás meu amor
Pois meu espírito indaga todo o instante
Porque preciso de ti

Onde estás…
Essa saudade que me invade
E aperta no peito
Pois preciso sentir-te mais perto…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

AMOR (RE)NASCIDO



Na primeira vez, apenas um olhar,
Em teu rosto um sorriso
E uns olhos que falaram,
Mas que guardei para mim

Aguardamos, pelo próximo encontro,
Onde sorrisos ansiosos, mas tímidos,
Fizeram-nos aproximar
Pelas poucas palavras ditas

Como sonhei acordada
Com teu sorriso,
Tua voz,
Parecendo minha imaginação voar

Sentia-me nas nuvens
Ao ouvir-te falar,
Pois em teu olhar profundo
Estremecendo, eu li-te a alma

O tempo correu célere,
Mais que queríamos,
Senti a mão no rosto
E um beijo roubado, mas desejado

Um amor (re)nascia
De olhares sem palavras,
E na despedida, uma promessa,
De um novo encontro…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

domingo, 5 de maio de 2013

TRISTEZA




Hoje acordei,
Sem mim e sem nada
Um vazio de ninguém,
Num aperto que abafava

Inquieta, pergunto-me
A razão de tanta angústia,
Pois sem motivo aparente,
Tudo contínua igual

Pelo amanhecer orvalhou,
Em silêncio e de mansinho,
Eram gotas de solidão
Que rolaram na noite escura

Desvendei o mistério
De toda a minha ansiedade,
As gotas de orvalho eram lágrimas
Da tristeza que sentia…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC