sábado, 18 de maio de 2013

VENTO




Quero sentir-te
oh vento,
Refrescar meus sentimentos
Mesmo falando calada,
E dos gritos que o eco
Não trouxe

Soltas o vestido
Mostrando bem meu perfil
Como se fosses alguém,
Querendo ver-me despida
Em corpo
E alma

Meus cabelos esvoaçam
Enquanto rodopias em mim,
Como se entregue a ti estivesse
Em completo Amor

Ah se eu tivesse asas
E pudesse voar em ti
Oh vento...

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

SONHO LINDO




Entre sonhos e fantasias
Viajo para ti,
No silêncio das noites,
Em que a brisa trespassa
As frestas das janelas

Quero o teu sorriso
Nos nossos desejos e vontades,
Flutuando ao sentir o sabor do teu beijo

Ah, como quero gritar
Ao luar, à luz do dia,
Que o meu sonho é lindo
Quando estás presente,
E que nada é impossível nem ilusão…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

AMO-TE




Amo-te,
Que tudo se torna tão pequeno
Comparando o Amor
Que tenho por ti

Amo-te,
Pois desvendei, que não sei viver
Sem o Amor que te tenho

Amo-te,
Quando te imagino na ausência,
E os meus olhos teimam em chorar

Amo-te,
Porque esta dor que aperta meu peito,
É de um coração que não para de bater por ti

Amo-te,
E apenas sei
Que não sei viver sem ti…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

FECHANDO OS OLHOS




Fecho os meus olhos
Procurando-te no meu imaginário,
E quando chegas,
Fico serena

Podes entrar,
Pois deixei as portas abertas,
O cabelo solto para teu afagar,
E no peito, uma enorme saudade

Como meus lábios querem os teus para beijar,
No olhar, lágrimas para secarem no aconchego
Ao calor d’um abraço

Como te quero tirar dos sonhos
Quando fecho os olhos
E ter-te por inteiro,
Pois quando assim acontece,
É só a ti que eu vejo…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

sexta-feira, 17 de maio de 2013

APETECE-ME




Teus beijos doces
Que embalam o repouso,
Numa vontade serena
De juntos estarmos
Em tão grande afeição

Olhares que percorrem
Caminhos secretos
E mãos que lêem
O sentir dos corpos
No encaixe perfeito

Quero adormecer
Em teu abraço
E sentir no silêncio
O calor do amor
Suavemente sorrindo…



Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

SABEMOS




Vem,
A Vida de nós dois mudou
E um barco voga
Até ao cais de nossos sonhos

Vem,
O Amor cresce como o mar
Pois de mansinho beija a areia
Num beijo roubado

Vem,
Porque, tudo o mais
Já sabemos….

Fátima Porto

quinta-feira, 16 de maio de 2013

MOTIVO




De olhar profundo
Fixas-me intensamente,
Num ardor intenso
Causando um arrepio

Queres-me…

O corpo que faz confundir
Qualquer pensamento teu,
E o coração bate forte
Querendo sentir,
Tocar

Revolve meus cabelos
Num acariciar suave,
Descobrindo em cada palavra não dita
Beijos nos silêncios tidos

Pois que gere tal anseio,
Que te faz clamar de paixão,
Contida, sufocada,
Em sentimentos degustados….


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

FRAGRÂNCIA TUA



Lágrimas que se ocultam
Na dor do silêncio
Palavras ditas p’la alma

Dia sombrio,
Que de ti apenas resta uma rosa,
Com toda a tua fragrância
Aos olhos meus

Minha imaginação voa
Ao teu alcance,
Para no calor d’um abraço
Chorar todo o meu amor

Pois desabroche a rosa
E cada pétala mostre meus caminhos
Que percorrerei de mansinho,
Mas em murmúrio celebraremos a paixão,
Para nosso deleite…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

EMBALANDO NA FANTASIA




Baloicei em ventos de esperança
Ao amanhecer de dias claros,
Por terras onde o sol aquece
Na ânsia do destino

Deixei a brisa tocar o rosto
Deslizando doce e suave,
Soltando os meus cabelos
No baloiço dum querer

Oh praia que eu inventei,
Aqui ou em qualquer lugar
Traz-me de volta o tempo,
O tempo que lá deixei

Batam as palmas das palmeiras
Ao borbulhar ameno das ondas,
Fazendo embalar fantasias
Como matassem saudades

Vou baloiçando n’areia
Num vai e vem de quem recorda,
Mas como o tempo parasse,
Ao murmurar
A chegada do por do sol…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quarta-feira, 15 de maio de 2013

ALTAR EM RUÍNAS




Perderam-se anos,
Esquecendo-se no tempo
O altar das preces,
De lágrimas de dor,
Sorrisos e alegrias

Templo um dia amado
Hoje com telhado de céu estrelado
De imagens veneradas em pensamento,
Onde a paz é sentida
Em paredes desfeitas em sofrimento

De solidão por companhia,
Votado ao esquecimento,
Penitenciam-se as almas
Com doridas mágoas,
Nas ervas nocivas que crescem

Como os ventos passam ligeiros
Deslizando pelas janelas escancaradas,
Ficando apenas a lembrança
Das orações tidas,
Quando repicavam os sinos…


Fátima Porto

PEDRAS DA CALÇADA




Passo a passo
Num abraço
Que nos inundava de prazer,
As ruas vazias
Que faziam ecoar os corações

Na sintonia de cada passo
Abafava um beijo na cadência
Sussurrado,
Pelo olhar pedido
Sem palavras consentido

Pedras da calçada
Por nós pisadas,
Ao amanhecer da paixão
Em ruas vazias,
Onde os corações aceleravam
Ao compasso,
No eco d’um enleio…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

ESCREVER DEPOIS





Sentada
à secretária
escrevia para ti, meu doce

Senti um arrepio,
Como de uma mão
em meu ombro,
Um afagar nos cabelos

Por minha janela
entrou uma leve brisa
mas um calor
colou-se às minhas costas

Oh, eras tu,
Estavas comigo, sorrindo

Inclinaste para a frente
e segurando no meu rosto,
Deste-me um beijo
estreitaste-me em teus braços
e em silêncio
um longo abraço

Mas porquê a escrita
se tu estavas comigo

Vem, minha paixão
o momento é de nós dois
quero-te em mim
como nós desejamos

Escrever,
Eu escrevo-te
depois...


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

terça-feira, 14 de maio de 2013

VIVER ATÉ AO FIM




Passo a passo,
Lentamente,
Irei ao teu encontro
Mostrando minha alma
Como se a visses num espelho

Olhos bem abertos,
Profundos,
Como se despisses
Para me teres a nu

Num abraço meigo
E beijos de desejos,
Em olhares que se degustam
Nos corpos que se amam

Seremos bem presentes
Nesta intensa paixão,
Em pensamentos, vontades

Mais que um alento,
É o que nos atrai,
E despojados de tudo
Viveremos o Amor…




Fátima Porto

FADO SEM TI




Tua mão
Na minha,
Teu corpo nu
Que aquece o meu,
Acende a chama
Do desejo
De sentir
Sem te ver

Meus olhos cegos,
Pressentem
O que a alma
Sussurra de mansinho

Doce ardor
Meu peito carrega,
Na ausência
Em noites sonhado,
De saudades
Por não ver,
Quem tanto anseio

E em desespero
Calo sozinha
A dor que aperta meu peito,
Num fado chorado,
Abafado no silêncio da noite…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

ROSAS DE SAUDADE




Pus em meu regaço
Perfumados botões de rosa
Para encherem o vazio
Que a tua ausência deixou

Pétala a pétala
Vou desfolhando
Como um pequeno rosário
Das penas da minha alma
Que no silêncio guardo por ti

Sentada aguardo serena
Despojada de sentimentos
Mas minha alma inquieta
Dorida, sofre sem ti

Choro lágrimas de saudade
E dos beijos que não dei
Queria-te bem pertinho
No calor do teu abraço
Sussurrando ao ouvido
Palavras do nosso Amor…


Fátima Porto

segunda-feira, 13 de maio de 2013

PALMEIRAS AO ANOITECER




Meus pensamentos
Vagueiam
Com o vento que passa
Por entre as palmeiras ao entardecer

Que vontade de voar também
De Ir para bem longe
Sem destino,
Talvez

E a brisa passou,
Mas aqui permanece minh’alma
Na praia de quimeras
que jamais vou esquecer

Sussurrei ao vento
Que não ouviu

Como o calor me envolve,
E na minha imaginação ecoam cantos,
Parecendo uma melodia triste,
Dolente
Ao som das palmeiras na praia
Pelo anoitecer….


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

DESABAFOS




Penso,
E deixo fluir palavras
Que pelo silêncio escrevo

São sentimentos da Alma,
Abafados, chorados
E que fazem doer

Deixem que grite bem alto
O que trago trancado
Num coração marcado de chagas

É uma voz de lágrimas,
Em olhar perdido
Na solidão de paredes frias,
Onde o Amor é apenas uma palavra
Na escuridão da esperança

Penso,
Nas palavras que são frias,
Como aquelas que sinto
Sem tua presença
Numa noite sem brilho…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

domingo, 12 de maio de 2013

PALAVRAS EM BEIJOS




Imersos em êxtase,
Num misto de fascínio
E loucura

Corpos colados,
Suados,
Em suave prazer

E o calor dos abraços,
No silêncio da noite,
Fazem murmurar palavras
Ditas em beijos cedidos…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

AREIAS NO TEMPO




Tempo,
Que passou no tempo
Sem nunca parar
Trazendo à memória
Um tempo esquecido,
Mas nunca perdido

Remoinhos aos ventos
Tentando parar
O tempo presente
Com areias no ar,
Em escritas sem tinta
Nas folhas dum livro futuro

Do fio que corre
Marcando o tempo,
Vai apagando um passado
Na existência pelo destino
Da presença do verbo Amar…



Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC