sábado, 8 de junho de 2013

IMAGINAÇÃO




Silêncios para além das palavras
Em desejos de um toque
De querer
Na ânsia das vontades

Sem palavras
Em olhares consentidos
Bocas que se unem
Onde línguas dançam em beijos

Pensamentos voam pela distância
Como corpos que se unem
Em exaltação

Suspiros de amor numa só voz
Nas noites dos amantes
Em que repousam
Ao calor d’um abraço oferecido….

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

SINAL DE SAUDADE




Leva-me contigo
Porque existe um vazio,
Uma saudade que aperta
E serei a brisa que beijará o rosto
Mesmo longe que estejas

Fechando os olhos
O vento soprará ao ouvido
E no silêncio das tuas palavras
Juntar-se-ão às minhas
Tatuando os corpos de desejo

E num aperto suave do abraço
Haverá um caminho escolhido,
Que de dia nos alumiará,
Pois à noite haverá estrelas
Que iluminem nosso Amor…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

TEU NOME AO VENTO




Gritei teu nome ao vento
Para que me ouvisses
Abri meus braços
Tal anseio da chegada

O vento levou meu brado
Mas de volta nada me trouxe
E no silêncio do mar
Espero recados teus

Olho o céu azul
O mar bate nas pedras da praia
Bramindo um choro dolente
Tal a fúria de quem nada pode fazer
Do meu grito ao vento

Meus braços estão vazios
Do calor onde teu abraço me acolhe
Vem…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

CORRENTES SEM TER




Aqui estou
Presa a ti,
Nua daquilo que sou
Em correntes,
Elo a elo
De emoções vibrando

Aproxima-te,
Quero saborear teu cheiro
Da paixão e do desejo

Meu corpo é tua guarida
Da insensatez do prazer
Não quero sentir pudor
De te ter por inteiro

Dá-te na fúria do ímpeto
Para além do que possas imaginar,
Pois é no meu corpo e no teu
Que te amarro,
Sem te ter...


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

sexta-feira, 7 de junho de 2013

TANTO AMOR




Ao meu ouvido segredas
Belas palavras de Amor
Que faço transbordar
Em páginas cheias d’encanto

Junto ao teu corpo, colados
Beijos calam falando por nós
Sinto teus olhos em mim
Lendo o que escrevo na Alma

Envolvemos nossos corpos
Em vontades e desejos
De mansinho e sem pressas
Degustando nossos sabores

Os olhares sorriem
Ao bem-querer deste amor
As vozes tremem de emoção
E os corações vibram de júbilo…



Fatima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

...


...

...Quem souber falar com os olhos,

Lê as palavras que estão escritas

Nas entrelinhas mais profundas

De uma alma só...


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quinta-feira, 6 de junho de 2013

NOTAS DA VIDA




Vai-se desenhando a vida
Em fusas e semi-fusas
Ao toque da batuta
Numa pauta quase em branco

Quase que se sente o DÓ
Numa oitava em LÁ
Pois era um sustenido
Abafado no calor do SOL

Pianíssimo ficou-se em MI
Para o acorde seguinte
De um bemol que seria o RÉ
Tendo um cruzar de mãos
Para se tocar o FÁ

Que melodia suave,
Escrita na clave da voz,
Pois os mestres somos nós
Na música que se ouve para SI


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

LETRAS E PALAVRAS




Abre-se o livro
Em tons suaves,
De letras e palavras
Que se soltam,
Como nuvens de borboletas
Num bailado multicor

Palavras que se transformam
Em sentimentos doridos,
Letras que se juntam em júbilo
Transportando o passado,
Nas reticências do presente
Sem nunca por um ponto final,
Num futuro prevenido

Cores que se misturam
Entre o negro da tristeza,
D’uma alma sofrida
Ao vermelho radiante,
Escrito com todo o sentir
Em cada folha do livro,
Num arco-íris da vida…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quarta-feira, 5 de junho de 2013

MEUS SONHOS




A distância é longa,
O mar calmo,
Um sol ardente,
E uma espera

Tudo me faz lembrar de ti

Viajo em praias por inventar
Onde sereias encantam
E devolvem às areias meus sonhos

Vagueio pisando conchas e búzios
Que sussurram baixinho, segredos nossos
Vão consolando minha solidão

Sopra brisa amena,
Que ao passar p’lo meu rosto
São beijos e caricias tuas,
E que fazem soltar meus cabelos

São saudades de minh’alma,
Que guardo dentro do peito…


Fatima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

PORQUE PENSAR



Adormeço em teu perfume,
Com a distância no teu sentir,
Na vontade de em ti estar
E a voz segredar

Desejo teu acordar
Em fragrâncias de carícias,
Beijos serem meu despertar

Teu querer enlouquece-me
Fazendo pensar,
E fechando os olhos à razão
Numa explosão de emoções,
Correndo como águas de um rio manso

Pois que transbordem do leito
Nos seus profundos sentimentos,
Deixando para trás o passado,
Desejando veemente o presente
Antevendo o fascino no destino…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

terça-feira, 4 de junho de 2013

QUANDO ESTOU SÓ




Quando estou só,
Sinto mais tua presença,
Voando para um outro espaço,
Um outro mundo,
Outra constelação

E nos meus silêncios,
Vejo-te chegar
Sem dizeres nada,
Somente um olhar profundo
Que fala tudo, tudo

Mas quando estou só
É que eu me abraço,
Para sentir o calor
Que deixaste em meu corpo,
Pois a distância, mesmo em outra dimensão,
Nos faz estar mais presentes

Quando me sinto só,
Sonho estar contigo
Para dizer o quanto te amo…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

NÃO TEM EXPLICAÇÂO




Nós reclamamos a presença,
Porém nossos corpos não precisam de estar perto,
Basta que fechemos os olhos
E senti-mo-nos

Nossa imaginação não tem fim,
E do longe, fazendo-se perto,
Também o calor d’um abraço é sentido,
Não tem explicação

Sentimos o toque dos lábios,
Saboreando um longo beijo

Nesta distância,
Fechamos os olhos para sentir
Nossas emoções,
Sendo um do outro
Sem palavras,
Só o que o coração diz…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

segunda-feira, 3 de junho de 2013

DESATA/SOLTA-ME




Desata minhas mãos
Para que te possa amar,
Sentir o teu corpo
Ardor da paixão

Solta de mim
Todo o desejo,
Desnudando
O meu querer,
Degusta
Nosso prazer

Sussurra
Ao meu ouvido
Palavras de silêncio,
Passeia
Pelo meu corpo
Dedos quentes, suaves

E para além do tempo
Exaltemos em união,
Numa chama ardente,
Almejada…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

ABRACEI-ME




Desnudei-me de tudo
Por entre a solidão
E o meu corpo tremeu

Olhei para lá do infinito
E senti frio
Sem um abraço

Palavras calavam
A dor da solidão
Enquanto uma lágrima rolava

De mansinho
Senti meu corpo aquecer
E minha alma sorriu

Era eu que me abraçava….


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

PEDE




Pede aos meus olhos
Para não te verem

Pede à minha mente
Para deixar de pensar em ti

Pede à minha imaginação
Para parar de sonhar contigo

Pede ao meu coração
Para deixar de bater

Pede tudo,
Mas não me impeças de te Amar…



Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC