sábado, 22 de junho de 2013

APENAS NUM OLHAR

APENAS NUM OLHAR

Ah como gosto de te olhar,
Ver como acaricias teu cabelo,
O teu sorriso,
E como te moves

Ah como gosto de te olhar,
E saber que te enlouqueço, olhando,
Como te provoco,
E vou despindo nesse olhar

Ah como gosto de te olhar,
E porque te vejo, assim
Simplesmente,
E apenas num olhar…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

PRAIA AO POR DO SOL

PRAIA AO POR DO SOL

Quero encontrar-te novamente
Na praia, ao por do sol,
Onde nos vimos e sorriste para mim

Quero caminhar junto ao mar,
Até que as estrelas apareçam
Para uma noite de luar

O Sol,
A noite,
As estrelas,
E o luar, serão cúmplices
Deste amor

Quero sentir teu olhar,
Nas palavras de cada toque,
Que em silêncio, mansamente,
Nossos beijos dirão,
Na praia onde um dia,
Ao por do sol, nos encontramos….


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quinta-feira, 20 de junho de 2013

MELODIA À BEIRA MAR

MELODIA À BEIRA MAR

Soltamos pensamentos como notas
Banhados numa melodia
Em prazer extremo
De uma sinfonia a dois

Ao sabor da corrente
Vão-se ouvindo
Suaves trinados
Com sustenidos
E Oitavas de silêncios
Na clave de sol do entardecer

As águas calmas deslizam
Como uma valsa
Onde os corpos que se encaixam
E em leveza ondulam

Cinges minha cintura contra teu corpo
Num rodopio de ondas
Imaginando ser uma sereia
Sussurrando a melodia à beira mar…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

ANOITECE

ANOITECE

A noite vai caindo

Uma última réstia de sol esquecida
Pelas nuvens que o afaga,
Vai escurecendo minha alma,
Como o bater das ondas ligeiras
Quando morrem na praia

Mar que molhas minha solidão,
Levas para bem longe as tristezas
Em lágrimas diluídas com sabor a sal

Angústias profundas
Trazidas à tona,
Como um barco afundado
Sem âncora nem arrasto…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

quarta-feira, 19 de junho de 2013

AMOR ASSIM...

AMOR ASSIM…

Um amor ansiado
Em bocas que se unem
Nos corpos colados

Prazeres desejados
Ardentemente sentidos
Em forte sensação,
Numa paixão desmedida,
Mas mutuamente concedida.

Beijos apaixonados,
Em que se degustam, sonhando
Nos prazeres sentidos

Beijos almejados,
Em corpos que se desejam,
Ternamente recordados
D’amor e paixão,
Num doce carinho
E um beijo prolongado em ti…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

SENTIMENTOS

SENTIMENTOS

Um passo na imaginação,
Soltam-se dizeres
Um querer em vontades,
Abraça-se sentires

Uma boca que cala,
Sentimentos que se vêm
Uma voz que sente,
Lágrimas tolhidas num rosto

Um amor sentido,
Num olhar profundo
Um desejo de ter e ser,
Na distância que separa

Uma Saudade na Alma
Em palavras sussurradas…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

terça-feira, 18 de junho de 2013

QUEREM

QUEREM

Querem que abafe as palavras,
Mas sorrio
Querem calcar aquilo que sou,
Mas sigo em frente
Querem amordaçar meus gestos,
Mas abraço-me
Querem tirar minha Liberdade,
Mas não me escondo

Sou aquilo que sou,
E por isso grito
Mesmo que seja ao vento,
Porque não uso resguardos

Dói,
Cansa,
Chega a solidão,
E “fecho-me atrás d’um fecho”…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

LAMENTO

LAMENTO

Lamento tido,
Perdido em lágrimas
Na escuridão da noite

Lamento sofrido,
Num rasgar da Alma
Com mãos vazias

Lamento vencido,
Em horizontes longínquos
De doces quimeras

Lamento padecido,
Como rugas d’um xaile
Na dor da Saudade…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

segunda-feira, 17 de junho de 2013

AI COMO DÓI...

AI COMO DÓI…

Lágrimas que lavam meu rosto
Com gemidos abafados
Em silêncios surdos, tapados

Quero secar minha tristeza,
Toda a dor que aperta o peito
Numa solidão de canas secas
Do tecto da minha cubata

Cresço de olhos vazios
Sufocando “ai uiê!”
Num regaço de nada
Rogando esperança

Ai como dói
Minha alma de criança…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC
NOSSO ENCANTO

Tuas mãos tocam-me
Mansamente,
Palmo a palmo
Pedindo um pouco mais

Acaricias suave
E beijas palavras não ditas
Que arrepiam a Alma
No olhar d’encantar

Afagas meu corpo
Desnudando vontades
Com sentires de quereres
Em nossa entrega

Como nos amámos
No nosso mundo
E enleados continuámos
Num natural encanto….


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC
VAZIO DE NADA

O dia amanheceu
Sem vestígios de ti
Tive estrelas por companhia

Cama desfeita do nada
Num corpo à espera
Do teu anseio em palavras

Rasgaste o último pedaço de alma
Que nem as lágrimas lavaram

Dor que cega meus pensamentos
Atraiçoa minha vontade
Num quarto de palavras surdas

Amanhece frio meu corpo
Em lençóis amarrotados
Nos braços vazios de ti

Ainda vislumbro tua sede
Num deserto
Que chamas de meu corpo…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC
DESEJO MEU

Olho o céu vazio
E rolam lágrimas
No mar de desculpas minhas
De vontades e desejos nossas
Pelo silêncio das palavras
Dos olhares verdadeiros

Estendo a mão
À brisa que passa
Que calada me traz recados teus

Limpo o rosto no meu perdão
Sentindo teu abraço
Como que a secar da última lágrima

Pois quando olhares para mim
Na vontade de sentir os lábios
Tendo um longo e meigo beijo teu…



Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC
NOITES DE ÁFRICA

É bom recordar
Com sabor a nostalgia
Noites de magia pura
Quando ao longe os batuques
Ao som do luar
Batiam forte os corações

Das planícies às savanas
Terra vermelha vibrava
Cânticos sentidos em vozes roucas
Com a firmeza das danças
No ondular dos corpos

Minha Terra é tão grande
Que desde o deserto a Cabinda
Batuques diferentes se ouvem
Misturando as cores das roupas
Com as missangas de enfeites

Quero voltar a ouvir
Batuques da minha terra
Em noites de lua cheia…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

domingo, 16 de junho de 2013

QUERO-TE

Quero-te sentir junto a mim
Tristezas transformadas em sorrisos
Num caminhar lado a lado,
Entre vales e planícies
De beijos e abraços

Quero-te pelo que és
No profundo do teu ser
À distância no presente e aqui
Olhando e sentindo as palavras não ditas

Quero-te amar ao pôr-do-sol, à tardinha
Numa praia em que o mar bate ligeiro
Onde a brisa amena despenteia nossos cabelos,
E nos faz aconchegar ainda mais

Quero-te no silêncio da noite
Quando os corações batem acelerados
Dizendo que é pouco, porque queremos mais,
Mais…muito mais do nosso querer

Quero-te, não,
Queremo-nos muito…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC
In “Ecos d’Alma”
PENSAMENTOS

Oh pensamentos
Que na distância torturam
Fazendo apertar o peito
Numa dor de saudade

Oh pensamentos
Que voam ao entardecer
Trazendo o brilho das estrelas
D’uma noite sem fim

Oh pensamentos
Que fazem dilacerar a alma
Num rolar de lágrimas no rosto
Pela tua ausência

Oh pensamentos…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC
….

…Amor,
É aquele que não tem barreiras,
O vento não leva,
E as distâncias não existem!...



Fátima Porto