sábado, 21 de junho de 2014

É TÃO SIMPLES

É TÃO SIMPLES

É tão simples amar-te,
E tão simples ter-te,
Num simples sonhar deste amor

É tão simples amar-te,
No teu jeito meigo,
Na doçura desse olhar

É tão simples amar-te,
Sentindo o deleite,
Entendendo a vontade de mais querer,
Mesmo no sentir da ausência
Apertando o peito

É tão simples amar-te,
Como simples é viver deste amor,
Que traz toda esta emoção,
Por seres assim simplesmente…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

ROSAS DE SAUDADE

ROSAS DE SAUDADE

Pus em meu regaço,
Perfumados botões de rosa,
Para encherem o vazio
Que a tua ausência deixou

Pétala a pétala
Vou desfolhando,
Como um pequeno rosário
Das penas da minha Alma
Que no silêncio guardo por ti

Sentada aguardo serena,
Despojada de sentimentos,
Mas que minh’alma inquieta
Dorida, sofre sem ti

Choro lágrimas de saudade
E dos beijos que não dei,
Queria-te bem perto
No calor do teu abraço,
Sussurrando ao ouvido
Palavras do nosso Amor…

Fátima Porto

EM TI

EM TI

Sucumbo
Em teu beijo,
Sem pudor

Aperfeiçoa,
No teu enleio
Meu aconchego

Meu bálsamo,
É teu ser,
No Universo inteiro

Desejo-te intensamente,
Acreditando em ti,
Por isso é que te reclamo agora…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

sexta-feira, 20 de junho de 2014

REFLETINDO

REFLETINDO

Acalmo no teu perfume,
Na distância do teu sentir,
Da vontade de ti
Em rumor do segredar

Desejo teu acordar,
Das fragrâncias em carícias,
Nos teus lábios em beijos,
E serem meu despertar

Teu desejar enlouquece-me,
Idealizando,
Silenciando os olhos aos ensejos,
Numa explosão de emoções,
Largando-as em liberdade
Como a chuva,
Quando molha meu corpo

Que as vontades façam transbordar
Os mais intensos anseios,
Dedicando os belos momentos,
Na exaltação da nossa existência…

Fátima Porto

quinta-feira, 19 de junho de 2014

DESATA-ME

DESATA-ME

Desata minhas mãos
Para que te possa amar,
Sentir no teu corpo
O ardor da paixão

Solta de mim
Todo o desejo,
Desnudando
O meu apetecer,
E degustando
Nosso prazer

Segreda
Ao meu ouvido
Palavras de silêncio,
Passeando
Pelo meu corpo,
Dedos quentes e suaves

Mas além de tudo,
Lembremos nosso mundo,
Completo,
Como uma fogueira,
Crepitando em chamas…

Fátima Porto

LEMBRANÇAS

LEMBRANÇAS

Dispo-me de mim,
No nosso mundo
Perante ti,
Para nós,
E num só corpo

Há um desejo,
Contido
Para lá do tempo,
De bocas caladas
Com olhos falantes

Absorvo momentos mágicos,
Idealizado instantes
Guardados na lembrança,
Para nunca esquecidos
Por um beijo selado

Olhos nos olhos
Caminhos são percorridos,
Mas nunca abafados…

Fátima Porto

...

...
…Sinto teus dedos passearem,
Pelo meu corpo nu,
Mudando a doce sensação
Para a mais bela música
Que nossos sentidos ouviram!


Fátima Porto

ABRAÇA-ME

ABRAÇA-ME

Abraça-me forte
Como se fossemos um só,
Querendo sentir teu calor
Atravessar meu corpo

Encostar minha cabeça
Ao teu peito,
Sentir o bater do coração

Abraça-me,
Preciso sentir mais perto
O pulsar do teu corpo,
Como se respirasse o teu viver

Abraça-me,
Beija-me de mansinho,
Acaricia meus cabelos

Abraça-me,
Porque no meu abraço
Não encontro ninguém,
Só eu…


Fátima Porto

quarta-feira, 18 de junho de 2014

DESEJO

DESEJO

O tempo não passa,
E as horas, sem minutos ou segundos,
Alheam-se à saudade,
Ignorando meu desejo

Os meus olhos anseiam ler
O desejo escrito no teu rosto,
E apenas ver o teu sorriso,
Na tristeza de minh’ alma
Aconchegada ao teu peito

Vem depressa,
Sem pressa de voltar
Olvidando as horas,
Pois serão apenas para nós

Vamos dar vida à imaginação
Que sai da alma,
E rompendo todos os devaneios,
Para seremos felizes

Fico a pensar,
Porque te deixei ir?

O tempo não passa,
E a saudade aumenta…

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

...

...

…Amor, amor,
É aquele que não tem barreiras,
O vento não leva,
Nem as distâncias existem!...

Fátima Porto

terça-feira, 17 de junho de 2014

ÁRVORE NUA

ÁRVORE NUA

A árvore
À beira do lago
Despida de folhas,
Foi nossa única cúmplice,
Quando nos amámos

O nosso lugar,
Sem outros olhares
E despidos como ela

Corpos ondulantes,
Como as aguas do lago,
De cabelos ao vento
Junto à árvore

Beijos
Misturavam-se
Com as caricias suaves
Pelos corpos nus

Arrepios,
P’lo passear leve,
Dos dedos,
Em cantos e recantos,
E de olhares que diziam tudo

A árvore nem falou nem olhou,
Mas foi nossa cúmplice
E estava nua, como nós...

Fátima Porto

VOU ESCREVENDO

VOU ESCREVENDO

Vejo e sinto
Meus pensamentos
Fluírem
Tomarem forma

Vou escrever versos meus
Com pena de tinta preta
Para que as páginas
Não fiquem brancas
De tantas penas minha

São sentimentos
Guardados no meu peito
Tristes
Amargurados
Passados para páginas brancas
Com pena de tinta preta

Esventro meu ser
Rasgo minh'alma
Por letras que não escrevo
Em páginas brancas...


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

BEIJOS

BEIJOS

Fecha os olhos
e imagina os meus lábios nos teus

Em seguida, vai abrindo devagarinho
e sente como te afago
bem junto a mim

São beijos
macios, alucinados, mas doces,
onde línguas falam por nós,
e como se o tempo não existisse

Não, não é só a imaginação
é também a realidade
da nossa vontade

nosso pensamento,
sentimento,
do nosso... Amor!

Fátima Porto

...

....
….A beleza da metamorfose
É quando um sonho se torna realidade,
E com a sua simplicidade
Faz a nossa Alma sorrir!

Fátima Porto

segunda-feira, 16 de junho de 2014

OLHAR TRISTE

OLHAR TRISTE

Teu olhar esvai-se,
Como o tempo
Livre no horizonte

Panos negros te envolvem
Porque sombria está tua alma
Entre lágrimas que já secaram

Mulher da minha terra,
Que de panos traçados
Enrolas-te como em abraços,
Com o teu olhar, perdido em nada

Mesmo na tristeza mostras encanto,
Como o cheiro da terra vermelha
Sacudida pela aragem quente,
Em deliciosa perfeição
Fazendo-se envolver na tua amargura

Em que brisas do vento
Teus pensamentos se dispersam,
Triste mulher da minha terra?


Fátima Porto
Fotografia de David M Oliveira

domingo, 15 de junho de 2014

OLHARES

OLHARES

Cruzá-mo-nos…
Nossos olhares
Falaram por nós
Onde mil palavras
Não diriam tanto

Almas que se abriram
Profundamente,
Deixando voar
Para bem alto,
O sentimento
E a vontade

Olhos transparentes,
Expressivos,
Que não se fecharam,
Transmitindo gostos,
Sonhos

Passaria por ti,
Para nossos olhares
Se voltarem a cruzar,
Mesmo de longe,
Nem que fosse por instante...

Fátima Porto
AMOR VIRTUAL

De amor fala-se
Mas amor não fala
Amor sente-se,
Amor expressa-se

Se o amor é virtual
Não sei onde mora
Apenas sei que é distante

Não fala minha língua
Nem eu a dele,
Mas pra quê idioma
E pra quê falar

Não precisa de língua
A dicção é universal
Sente-se nos olhos
Em atitudes,
E no carinho

É no conjunto de imagens
D’um computador?
Uma velha foto?
Na voz?

Ama-se a alma,
Ama-se a essência,
Ama-se o virtual!



Fátima Porto
LOBA-MULHER

No silêncio da noite
Transforma-se,
A mulher que traz em si,
Uma loba em cio,
Uivando bem alto
Procurando seu macho

Com loucura
E de mansinho,
Vibra nela o que quer

Em todo o ensejo
Rasgando sua pele
P’ra tê-lo por inteiro
Indo até aos confins
De si próprio
Onde só ele conhece
E não mostra

Vai dar uivos
Enlouquecidos
Vindo das entranhas
Quando a insanidade
Tomar conta de si

O seu uivo será mais forte
Demasiado incontido
E em uníssono,
Apenas se elevará um:

O da fêmea,
Loba-mulher…

Fátima Porto