sábado, 12 de julho de 2014

ARDOR D'ENCANTO

ARDOR D’ENCANTO

Tira,
Roupa que cobre
Meu corpo nu

Entrelaça,
O calor do abraço
Na alma despida

Sente,
A fragrância da pele
No toque suave

Sussurra,
Em corações descompassados
De dois corpos colados

Beija,
Pedindo sem palavras
Roubando os sentidos

No ardor do encanto,
Rompem inquietos
As vontades abafadas,
E esquecendo o mundo lá fora…


Fátima Porto

SOU ANGOLANA

SOU ANGOLANA

Sentimentos que calam fundo,
Lavando toda uma saudade,
Na tristeza do olhar

Fervilha o sangue p’la distância,
Da terra quente ao sol por,
Que um dia me viu nascer

Imagens d’emoções
Vão e voltam,
Fazendo lágrimas rolarem

Raças, credos e religiões,
Tantas e sem distinções,
Pois p’ra minha grandeza
É alma de ser Angolana...

Fátima Porto

sexta-feira, 11 de julho de 2014

FRAGRÂNCIAS

FRAGRÂNCIAS

Perfumes,
Para que servem,
Se mesmo à distância
Ainda sinto o teu aroma

Nem as mais belas flores
Contêm o teu cheiro
Vindo do beijo e p’lo anseio

Ventos trazem a fragrância de ti
Causando um calor que abafa,
No fresco silêncio do entardecer

Um abraço perdido em mim,
No murmurar suave da tua voz
Guardado em mim,
Faz acalentar minh’alma

São as asas perdidas da imaginação,
Que me fazem ficar mais perto,
Pois nossos cheiros se envolvem
Como o próprio Amor…

Fátima Porto

OLHAR SIMPLES

OLHAR SIMPLES

Em olhos calados
Para lá da distância,
Bate o mar nas pedras da praia
Nuas, molhadas

Quero-me assim
Na saudade d’um infinito,
Desnudando minha alma
Na transparência de um ser
Que entende a distância

Meu rosto sente a brisa,
Que passa ao redor do corpo em liberdade,
Numa praia imaginada
Em que me deleito em prazer,
Talvez um dia sonhado

Desejo essa realidade
No fundo da minha alma,
Sem mágoas gravadas,
Mas com um simples e límpido olhar…


Fátima Porto

quinta-feira, 10 de julho de 2014

MÚSICA

MÚSICA

Em ti me inspiro
Em acordes
Leves
Suaves
Como de um beijo
Ao acordar

Música nos meus sentidos
Em um abraço
Enternecido
De dois corpos
Unidos

Melodia singela
Mas que traz emoção
Batendo forte
O coração

Canto para esquecer
Minha tristeza
O refrão da saudade
Em tom piano
Pianíssimo
Quase sussurrando
Em voz embargada
Com mistura de lágrimas
Nesta solidão.


Fátima Porto

ANGOLA

ANGOLA

Minha terra,
És um sonho desejado,
Solto no odor do sol escaldante,
E fresco
Como as águas calmas dos rios

Angola,
Qual flamingo coberto d’amor,
Voando em bando d’esperança
P’las nuvens de algodão
E agasalhado no aroma de café

Tu és meu devaneio
Na poesia da minh’alma,
Espalhada ao vento,
Sussurando às palmas das palmeiras
Quando o sol se põe

Angola,
Em cada palavra dita,
És um verso de quem sonha...

Fátima Porto


quarta-feira, 9 de julho de 2014

NEGRO

NEGRO

De negro me vesti
À tua espera
Sem espera
De saudades
Pela presença

Sinto frio
Do abraço
Desejado
Nas vãs quimeras

Solidão
Tenho por companhia
Nas noites gélidas
De um Outono próximo
E negro

Olho à volta
E nada sinto,
Sentimentos se esvaindo
Negros,
Como as roupas que trago…

Fátima Porto

SOL DA NOITE

SOL DA NOITE

Dá-me a tua mão
E vem espreitar o sol na noite
Entrar em noutra dimensão
Com luas cor de fogo

Que se separe o céu da terra
E se unam constelações
Para lá da via láctea

São paixões entrelaçadas
Guiadas por estrelas cadentes
De desejos ansiados

É fogo em brasa
Chama ardente
Que rasga a alma de quereres
Em por de sol escaldante

Teus ramos do abraço
Aquecem meu aconchego
Onde descanso em teu peito
Sem palavras de nosso desejo …


Fátima Porto

terça-feira, 8 de julho de 2014

TUA FALTA

TUA FALTA

Vi-te quando partiste,
Ficou a saudade,
E como me fazes falta,
No sentir d’um vazio,
Na solidão

Como faz falta
O teu sentir,
O calor dos abraços,
Teus beijos,
O estar aqui, neste momento

Ah como me fazes falta,
Tanto, como o ar que respiro,
O sorriso no teu olhar
Nas noites que não durmo,
E fazendo amanhecer contigo

Como fazes falta,
No aconchego do entardecer
Ouvindo tua voz,
Olhos nos olhos

Fazes-me falta…

Fátima Porto

TERRA VERMELHA

TERRA VERMELHA

Oh terra vermelha,
Que quando fechei os olhos,
Minh’alma sentiu teu cheiro


Embargou-se a voz
Nas lágrimas que rolavam,
Levando para bem longe
Meu grito abafado

Apertei as mãos,
Para que o punhado de terra
Se embrenhasse,
Até ao mais profundo do meu âmago


Mas lentamente,
Deixei escorrer por entre os dedos
O pó da saudade
Do vermelho da terra que me viu nascer


Mas da minha mão,
O sentir,
O odor,
Jamais desaparecerão...



Fátima Porto
Fotografia de: Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

ENTREGA

ENTREGA

Escorrem
Areias por entre os dedos,
E algas tocam
Mansamente,
Uma vez que, não planeiam acordar
D’um sonho enredado

Deixo o corpo
Ao sabor das águas,
E que suave prazer
Invade-me

Ah quisera eu
Tuas mãos
Percorrerem
Em meu corpo,
Loucamente delicadas,
Por fascínio
Do desejo

Espraio-me
Em consolo,
Esboçando tua presença,
E entregando-me
À ausência do vazio...

Fátima Porto

segunda-feira, 7 de julho de 2014

AMOR AO POR DO SOL

AMOR AO POR DO SOL

O sol se põe
Em cores quentes
Doces e amantes

A praia é nossa,
Molhamos os pés na água
Sentindo um arrepio

Fujo,
Mas uma onda molha meu corpo,
A roupa,
Deixando ver toda a volúpia,
E rolamos, como crianças,
Na areia molhada da praia

Um beijo longo, quente,
Entre carícias,
Aquece nossos corpos,
Enlouquecidos

O sol,
Mar,
São nossos cúmplices
Deste amor tão querido,
Apetecido

Beijos roubados,
Beijos loucos,
Onde nossas línguas
Entrelaçam-se,
Com sofreguidão

Tuas mãos,
Percorrem o corpo,
Por caminhos ainda escondidos
Na roupa molhada

Já não existe sol,
E o mar apenas observa
Dois corpos unidos
Nas rendas de espuma d’amor...

Fátima Porto

ETERNIDADE

ETERNIDADE

Olhá-mo-nos num silêncio tão doce,
Em que um mar de palavras foi dito,
Sem que os lábios se mexessem

E o abraço de tanto afago, e carinho
Como que a suavizar da ausência
Na dor da longa distância

Mas naquele preciso momento,
Os corações próximos e acelerados,
Inevitáveis juras de amor se fizeram,
Tão breve quão a eternidade...

Fátima Porto


domingo, 6 de julho de 2014

AMOR IMPERFEITO

AMOR IMPERFEITO

Amor imperfeito,
Muito mais que perfeito,
Quando esquecemos defeitos
No tempo exacto
Fazendo as horas passar

Amor imperfeito,
É tão perfeito que faz sonhar,
No silêncio da noite,
Como uma melodia de carinhos
De quem anseia amar

Amor imperfeito,
Com falhas que o tornam completo,
Cabendo no peito,
No calor d’um abraço,
Já que é mesmo,
Perfeito...

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

PALAVRAS PARA ANGOLA

PALAVRAS PARA ANGOLA

Vou até ti,
Minha Terra
Em aviões de imaginação

Recordações de juventude
Que trazem saudades,
Dos dias vividos
E emoções sentidas

Mando-te palavras d’alma
Com a beleza das acácias,
E de lágrimas empoeiradas
P’la terra vermelha crestada

Mando-te palavras do coração
Com a doçura das frutas
E dos cheiros
Que fechando os olhos, ainda sinto

Mando-te palavras d’um abraço
Forte e imenso,
Como se meus braços fossem,
Os ramos do velho imbondeiro
À beira do caminho

Para ti, minha Angola,
Mando-te palavras de calor
Como o por do sol à tardinha
Numa praia qualquer…


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

TEU CORPO, POESIA NOSSA

TEU CORPO, POESIA NOSSA

É no teu corpo
Que vou desenhando letras,
Para um poema em nós

Com volúpia e emoção,
Sinto palavras queridas,
Percorrerem pelo silêncio,
Trilhos esquecidos na penumbra

Poema escrito num corpo,
Onde odores calados,
Se fundem nos beijos dados,
Suavemente em sintonia

Dedos serpenteando,
Alienados,
Permitindo reticências,
Interrogações,
Ao trocarem exclamações em ardor

Poesia em corpos que falam,
Querem,
Sentem,
Mas nunca um poema vazio de nada...


Fátima Porto