sábado, 9 de agosto de 2014

PAIXÃO SEM PALAVRAS

PAIXÃO SEM PALAVRAS

Teu enleio
Num beijo,
Faz deslizar minha cabeça
Em ombro nu, quente,
Que afaga nossa paixão

Que desejo,
No momento
De nosso querer,
Em carícias retidas,
Caladas, sussurradas,
No extravasar incontido

Não se ouvem palavras,
Apenas o bater de corações
De júbilo ansiado,
Subtilmente alcançado

Oh doces sensações,
Quisera voar no tempo,
E levar de mim p’la distância,
Em ternuras de ardor,
Escritas no silêncio…

Fátima Porto

PROCURO EM NADA

PROCURO EM NADA

Passo a passo,
Pés marcados
Na fina areia molhada,
Procuro nada, na solidão da praia,
E num silêncio
Sem respostas

Como sombra que persegue
Nada sou em mim
No encontro do pensamento,
Que atordoa
Inebriando minha alma

Oh mar
De meu encantamento,
Não apagues as marcas que abandono,
Na fina areia molhada

Deixa rolar a espuma,
Como rendas de teu tear,
Fazendo soltar malhas
Pois são lágrimas da minh’alma...

Fátima Porto

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

PORTA ABERTA

PORTA ABERTA

Vem de leve,
Pois vou deixar a porta aberta
Para poderes entrar

Não haverá desculpas,
Nem chave para fecha-la,
Porque te quero
Só comigo

Invade levemente

Psiu… não faças barulho,
Porque posso já estar a sonhar
Com tuas doçuras

Uma porta aberta
Para o amor,
Incansavelmente desejado,
Num quarto onde não existem horas,
Mas apenas o nosso mundo

Encosta a porta,
Enlaça-me no teu calor,
Não em sonhos, sonhado,
Mas num presente concretizado…

Fátima Porto

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

EM SONHOS

EM SONHOS

Oh como escrevo
Todo o sentimento que sinto,
Deixando meu pensamento voar,
Quando para ti olho

Mas se vejo tua boca,
Sinto-me beijada, desnudada

E sempre que adormeço,
São de tal forma meus sonhos,
Que nem ouso falar,
Pois eu mesma estremeço

Tua voz ao ouvido sussurra,
Palavras com sabor a mar,
Estreitado no calor de um abraço,
Num brinde único, para amar

E nossos corpos abrigam
Tais fragrâncias
Como amantes,
Desde que anoitece
Até a manhã raiar,
Perdidos numa praia,
Ainda por inventar…

Fátima Porto

BEIJO NUM MOMENTO ENCONTRADO

BEIJO NUM MOMENTO ENCONTRADO

Sentimentos aproximam-se,
Um beijo pede-se
Sem falar,
E se dá envolvido,
Carente,
Perdido
Na nostalgia do momento

De olhos fechados
Vive-se
O instante,
Perdido no tempo,
No doce ensejo,
Para nunca esquecer

Oh, como quero teu beijo,
Sentir o calor
Do toque dos lábios,
Onde línguas passeiam
Pelo corpo,
Voar em teus braços
Num lugar amado

Vem junto a mim
Pediremos o beijo
Que consumirá o fogo
Em nós trazidos

Vem,
No beijo calado,
Sentido, querido,
Como se fosse o último,
Docemente gozado
Porém não olvidado no tempo….

Fátima Porto

DESEJO

DESEJO

Desejo de querer,
De vontades,
Sentindo tua presença

Desejo de beijos,
De um olhar consentido
No teu abraço

Desejos de ter-te
Colado a mim,
No vibrar da paixão

Desejo de ouvir
Em doces murmúrios,
Calar minha boca

Desejos no tempo,
Sem noites nem dias,
Numa demora sem prazo

Desejo de nós
Em silêncios calados
E … no amor desnudados…

Fátima Porto

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

SERENIDADE

SERENIDADE

Promessas ditas,
Almas caladas,
Em beijos esperados

Frenesis sossegam-se
Nas mãos dadas em silêncio,
Pelo nosso momento
Onde o tempo não é certo,
Mas que virá um dia

Teus lábios queimam junto aos meus
Na ansiedade de tudo querer,
Pois olhares falam mais
Que nossas bocas em silêncio

Corpos colados num abraço
Num sentir de corações acelerados,
Para que meu tiritar não se revele
De tanta paixão que existe

Quanta calma vive na Alma,
E a serenidade passeia em nós….


Fátima Porto

SIM...

SIM…

Sim,
Quero sentir o teu abraço
Leve, suave
Que me envolvas

Sim,
Sentir as tuas mãos
Num aperto doce no meu corpo
Colando ao teu

Sim,
O desejo e a vontade
De dois seres se fundirem
Fazendo extravasar o amor

Sim,
Não quero perder nosso sonho
Que nunca fez ter promessas
Mas que nos une ainda mais

Sim,
Como faz falta o calor do abraço…

Fátima Porto


terça-feira, 5 de agosto de 2014

COMO RESISTIR

COMO RESISTIR

Como resistir,
Se sentimentos abafados
Deixam no peito uma dor?

Como resistir,
Se asfixio minhas lágrimas
Para que se veja meu sorriso?

Como resistir,
Se fecho os olhos
Porque a boca fala
O contrário que eles querem?

Como resistir,
A vontade e desejo
Do calor num abraço contido?

Como resistir,
Em lábios suaves
Um beijo com sabor a escasso?

Como resistir…

Fátima Porto

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

SEGREDOS

SEGREDOS

Bocas que falam
Num significado da alma
Que arrepia,
Sentindo sem olhar

Dedos que não têm segredos
Em nossos corpos nus
Na emoção do silêncio

Queremo-nos,
Em louco desejo,
Onde o segredo não tem culpa
Pois em amor
É fascínio sem proibição…

Fátima Porto

JANELA DE POESIA

JANELA DE POESIA

Janela dos meus encantos,
Por onde ela vagueio
Num doce imaginar

Uma brisa
Toca meu rosto,
Como carícias tuas
Trazidas pela saudade

Olho o mar,
Serenamente,
Como quem espera mensagens,
Trazidas p’la espuma das ondas
À areia fina da praia

Meu pensamento voa,
E nada encontra,
Apenas uma meiga fantasia,
Através dum encanto
Que faz de ti
Minha Poesia...

Fátima Porto

domingo, 3 de agosto de 2014

QUERO TER

QUERO TER

Ah como te quero ter
Nas minhas mãos
Todo o sol que me viu,
E que aqueceu

Sentir o seu calor
Ao entardecer
Quando os pensamentos voam

Como o quero ter...

Desde a praia,
Ao planalto,
Da savana,
Ou mesmo ao deserto,
O sol quente d’ Angola
Como quero voltar a ter

Irei guardar-te
Nas minhas pequenas mãos
Para nunca mais te perder…


Fátima Porto

PENSO...

PENSO…

Tanto que penso em ti
Que me sinto oca
Sem te ter comigo

Tudo perde a importância
Quando os dias se alteram
P’lo silêncio das noites,
Abandonada,
E rodeada de solidão

Confio no tempo,
Numa doce e suave brisa
Que irá trazer caricias tuas

Vou acalentando em sonhos,
Tua doce sedução
Na tua suave voz…

Fátima Porto

SOU...

SOU…

Sou Poesia que nada vê
Em papel branco,
Um poema oculto
Em sentimentos calados
De um amor secreto

Sim, sou apenas alguém
Que querer amar sem amarras…

Fátima Porto