sábado, 25 de agosto de 2012

ESPERA DO AMOR




Amar não dói
Mas a rejeição faz sofrer
E no silêncio da solidão
Chora uma alma que sangra

Amor alterado
Em ciúme que mata
Ou perda de um amor passado
Mas amor não dói assim

Amor verdadeiro
Encobre toda a dor
Sentir-se novamente belo
Perfeitamente amado

As coisas agradáveis, como o amor
Acontecem quando menos esperamos
Mas esperá-las, não impede que aconteçam
Porque isso chama-se…o acaso!


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO