terça-feira, 29 de maio de 2012

NÃO PARES DE SONHAR



Vida que um dia brotou
Da esperança e do amor
Abriu os olhos p’ro Mundo
Nos seus sonhos de menina

Brilham estrelas no céu
Quando vêm teu olhar doce
E com enlevo bailam
Na suavidade de teu adormecer

Teu idealizar é lindo
No mundo da fantasia
Onde há Reis e Rainhas
E o Sapo um Belo Príncipe
Com quem irás dançar

A VIDA tem tudo disso
Nunca deixando de SONHAR
Por isso LINDA NINA
Acorda porque o sol brilha
A VIDA…
Espera por ti…


Poema dedicado em especial, a uma MENINA que está num hospital e que quer Sonhar e acordar para a VIDA, depois de acidente de automóvel.

Meus AMIGOS:

Poesia é Arte
Fotografia é Arte
Pintura é Arte
Nu é Arte
Amor é Arte
Cantar é Arte
Erótico é Arte
Tocar Mozart é Arte
Viver os sentimentos é Arte
Saber ler a Alma é ter Arte
Saber ler nas entrelinhas é ter Arte
Gritar choros e lamentos é Arte
Cair 7 vezes e levantar 8 é Arte
Saber dar 2 murros numa mesa no momento certo é Arte

Agora, quem não gosta de ARTE, não ESTRAGE, porque as pedras que atiram
Servirão para construir um CASTELO bem forte para os receber, mesmo de olhos fechados
NÃO GOSTAM….TAPEM OS OLHOS, OS OUVIDOS, A BOCA….mas deixem a ARTE sair à rua!!!!

Fátima Porto
Meus AMIGOS:

Poesia é Arte
Fotografia é Arte
Pintura é Arte
Nu é Arte
Amor é Arte
Cantar é Arte
Erótico é Arte
Tocar Mozart é Arte
Viver os sentimentos é Arte
Saber ler a Alma é ter Arte
Saber ler nas entrelinhas é ter Arte
Gritar choros e lamentos é Arte
Cair 7 vezes e levantar 8 é Arte
Saber dar 2 murros numa mesa no momento certo é Arte

Agora, quem não gosta de ARTE, não ESTRAGE, porque as pedras que atiram
Servirão para construir um CASTELO bem forte para os receber, mesmo de olhos fechados
NÃO GOSTAM….TAPEM OS OLHOS, OS OUVIDOS, A BOCA….mas deixem a ARTE sair à rua!!!!

Fátima Porto

segunda-feira, 28 de maio de 2012

MAGIA DO SOL QUENTE




No descansar do dia
Com ardor no céu
Vogam meus pensamentos
Numa brisa suave

Tenho saudades do sol quente
Numa praia qualquer
Onde as ondas calam
Em espuma no areal

Que ventos soprem meigos
No veleiro de minh’alma
Para sentir tuas palavras
Ditas no calor do coração

Tentar explicar toda a mágica…
Apenas deixar levar
Olhando
E voar com a brisa…


Fátima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel

AH O AMOR...



Ah amor...

O amor que nos faz viver
Mil maravilhas
Sendo atormentados
Pelas loucuras do desejo

Desejar os tormentos
Das loucuras
De quem se ama

Sucumbir aos delírios
De uma paixão ardente
Para se despertar
Num pesadelo angustiante
E novamente suspirar
Tão loucos tormentos,
Que saciados
Nos fazem repousar
Em um belo sonho real

Ah o amor...

sexta-feira, 25 de maio de 2012

ACONCHEGO TEU




Quero sentir teu colo
Que bebo teu calor
Num abraço desejado
Por ti tão ansiado

Nos teus beijos
O doce mel
Nas línguas um bailado
Um arrepio na pele
E o cabelo desalinhado

Ficarmos bem juntos
Tão gostoso tal prazer
De sentir carícias
Na tua pele macia

Queria-me perder no tempo
Sentindo teu aconchego
Deixo levar meu pensamento
Até onde quiser parar…


Fátima Porto

quinta-feira, 24 de maio de 2012

FECHANDO OS OLHOS




Com tuas caricias
E teus beijos
Fecho os olhos
E deixo-me levar

Dar amor
E ser amada
Envolves-me
Com tal doçura e candura
Ficando aprisionada em ti

Chamo-te de paixão
Amor doce
Porque nos queremos
Desejamos
Ansiamos
E nos encaixamos
Como o concavo
E o convexo

Numa plenitude
D’um sonho a dois
Nossos cheiros
Cruzam-se
Misturam-se
Com os fluidos
Que de nós exalam
Inebriando-nos
Como loucos

Ah que amantes que somos
Fechando os olhos…


Fátima Porto

CHUVA DE TRISTEZA




Calo os meus olhos
No silêncio dos sentimentos
Com lágrimas de culpa
Querendo voar na escuridão

Chuva mistura-se com o sal das lágrimas
Num sabor acre-doce
Em que rosas murcham sem abrir
Porque os espinhos abriram feridas
Penas que carrego

Esventro minh’alma
No frio da noite
Em que a solidão nada me dá
Mas nada também lhe digo

Apenas meus lamentos sofridos
Lavados pela chuva que cai…


Fátima Porto

quarta-feira, 23 de maio de 2012

NOITES QUE ESCREVO




Escrevo em murmúrios
Palavras caladas, sentidas
Que meus lábios não dizem
Mas que o olhar fala

Sinto tua mão deslizando
Em carícias suaves
Como o toque da brisa
Que pela janela trazendo teu cheiro

Solta-se o vento
Sob tua presença
Deixando a escrita
Que não faz sentido

Fecho os olhos à luz da lua
Que atravessa a vidraça da minha janela
Mais forte clareia o nosso querer
Farol que norteia a própria vontade…


Fátima Porto

A ESPERA...





Nessa vida esperei,
Tanto tempo

Em meus sonhos
Eu vi-te,
Toquei-te
E senti-te
Nos braços meus.

Esse sonho que vivi...
Despertou-me
E eu vi-me
Nos braços teus.

E para noite não passar,
Para o amanhã não te levar,
Eu não adormeci.
Nossa noite de magia,
Os segundos que vivia,
O tempo roubava-me.

E nesse tempo, sem querer,
Desejei não te ter
Só para te esquecer.

E quando o amanhã chegou,
A noite em meus dias ficou,
A revolver-me.

E nessa vida eu estou,
Tanto tempo a esperar
Por TI…


Fátima Porto

terça-feira, 22 de maio de 2012

A NOSSA HORA




Sorrisos e perfume de amor,
Tudo é melodia doce
Viver de felicidade.
Hoje e sempre

O encanto dos beijos
Calor nos abraços
Cheiro de homem
Vibrando felicidade

Aperto-te o corpo
Vejo-te e sinto
Em sedutor abraço
És carinho e luz
alegria e paz
encanto sempre
doçura-mel
Que calor delicioso teu corpo faz
e como é bom o sentir-te
Colorido nobreza tens,
Justo e merecido é o teu querer

A hora é tua
A hora é minha
A hora é nossa

Tempo brilhante de amor
Acariciando teu rosto
Bem perto olho-te
Degusto e cheiro
Escuto um tilintar de cores
No sempre sentir-te
Vibro e vivo

É maravilhoso viver de amor!


Fátima Porto

segunda-feira, 21 de maio de 2012

MELODIA DESPIDA




Fez-se silêncio na sala
Para os acordes leves, suaves
De um violino que chora
As mágoas do tocador

De olhos fechados
Ouvido afinado
O arco e os dedos
Percorrem lentamente
Como lágrimas salgadas
Deslizando pelo rosto

Esvoaçam notas pelo ar
De um Outono despido
Como folhas amarelecidas ao tempo
Das lágrimas caídas pelas franjas d’um xaile
No contratempo ajustado

No corpo nu da música
Choram almas d’encanto…


Fátima Porto

LOUCURAS





Acordei com uma brisa suave que veio ate mim,
A janela do meu quarto estava entreaberta…
Suave e doce o cheiro da manha….
Enrosquei-me nos lençóis de seda que cobriam o meu corpo seminu
E sonhei acordada….Contigo
Tu que envolves meus pensamentos
Me fazes sentir-te presente quando não estás
O teu corpo junto ao meu,
As tuas mãos acariciando-me
A tua voz dizendo-me coisas belas em sussurros ao ouvido
E o enlevo em que ficamos
As nossas bocas trocando beijos meigos
Línguas que se tocam e enrolam
Que se sugam num querer desmedido
Oh, amor, dá-me o teu corpo
Deixa-me abraçar, e envolver-me nele
Eu quero-te!
Nós nos queremos!
Porquê fingir, apenas falar…
As nossas sensações, os nossos mais querer
O sentir que só se sente quando se tem Amor
Um vibrar, um tremor pelo corpo, um arrepio,
Um desejo de querer e não se saber conter
E que eu sei que tu me queres assim
Teres as tuas mãos no meu corpo, dando-me prazer
Sentires calor com o nosso entrelaçar
No nosso abraço sem fim
Nossos corpos se fundem, se misturam,
E as carícias e os beijos são queridos, mais envolventes
E tudo nos leva a loucura,
A doce loucura do amor
Ah doce loucura ….
Como é bom tê-la ….
Como é bom senti-la ….
Como é bom voar nela …
E nós fomos loucos?

Já não sinto a brisa da manhã….A janela fechou-se!




Fátima Porto

domingo, 20 de maio de 2012




‎...As mãos falam,
as almas se entrelaçam nos olhos que sentem,
no infinito da paixão em que estrelas brilham por amor,
em noites que nunca escurecem de sentimentos!...


Fátima Porto

sábado, 19 de maio de 2012


….

…Espera longa
Num silêncio apagado
Onde as noites se confundem
Com dias tristes

Lençóis numa cama feita
E um telefone sem tocar
Porque a espera é longa….


Fátima Porto

MEDOS...




Como seria bom esconder-me
enroscada em teus braços
como uma criança abandonada
precisando de amor
do calor de um corpo
e deixar render
à proteção, ao amor, carinho
de uns braços fortes de paixão
enquanto os vendavais,
as tormentas,
passam ao lado sem me tocar.....

Estou e sou protegida
Eu quero ser protegida

Eu não sou forte
magoaram-me
feriram-me muito forte
e tudo ficou escuro
e apenas choro
choro

Quero-te sentir
no apertar do meu corpo
em teus abraços cheios de paixão
as tuas mãos em caricias
meigas , suaves, como tu...
serenas e calmas

Beijando e protegendo
boca que nunca beijei
e bebendo esses beijos
de loucura e um querer
deixando-me levar ao encontro
da ansia ate ao êxtase total...






Fátima Porto

sexta-feira, 18 de maio de 2012


( ::: )

…Lágrimas
Quantas já foram derramadas
Engolidas
No quarto escuro da solidão
Com vergonha de alguém ver

Lágrimas
Sentimentos doridos no silêncio
Mas que ao calor do sol
São consumidas por um sorriso

Lágrimas escondidas…


Fátima Porto

AH COMO QUERO...




Como quero beijar a tua boca
Não só uma vez
Mas as vezes que o meu coração pedir

Como quero sentir teu aroma
Aquele que teu corpo exala

Como quero tocar teu corpo
Conforme vejo em sonhos

Como quero ouvir tua voz
Bem perto do ouvido
Sussurrando palavras de carinho

Como quero olhar teus olhos
Bem dentro da alma
No calor do respirar

Como vento sem destino
Meu corpo clama
Como te quero
Minh’alma chama
Como barco sem leme
Te desejo…

Fátima Porto

(…)

…Meu peito desfaz-se
Nos céus de tormentas
Soltando-se em tristezas e mágoas
Das feridas que sagram

Voem para longe
Sentimentos que atormentam
E que esventram minh’alma…


Fátima Porto

QUANDO...




…Quando a saudade chega
Uma lágrima rola
As palavras calam no silêncio
O corpo arrefece
Sentindo a falta d’um carinho

Tudo se torna ausente no presente
Até as mãos e o regaço
Outrora cheios de tudo
Agora estão vazios de nada…


Fátima Porto

quinta-feira, 17 de maio de 2012

SALTO PARO O AMOR




Salto desta angústia
Como as lágrimas que rolam
Com o sabor a sal do mar
Que se estende nas areias da praia

Salto deste receio
E saio para a rua em dia de chuva
Deixando molhar-me até à alma
Lavando toda a tristeza

Salto desta mágoa
Fazendo reviver meus sonhos
E deixando entrar o sol em mim

Salto do meu silêncio
Deste desânimo que me isolou
Soltando meus cabelos
Fazendo meu coração sorrir

Meu amor está a chegar
Vou saltar para os seus braços
E esquecer a ausência…


Fátima Porto

MÁGOA POR ENTRE OS DEDOS




Desfaço lentamente
Com mágoa por entre os dedos
A flor imaginada na entrega
Algum dia dada por ti

Flor de sorrisos ocos
De odor que embriagou sentimentos
E que se esmoreceu como o vento

Pétala a pétala cai por terra
Momentos lindos, de encantar
Pisados, calcados
Nesta tristeza incontida

Minha mão fecha-se
Derramando todo um sofrimento
Não de raiva nem de ódio
Mas dorido bem profundo
Que faz estalar todos os ossos

Porque me querem assim
E me dói tanto a Alma?..


Fátima Porto

SUAVE EM TI




Docemente
Percorro o teu corpo
Pé ante pé
Degustando cada detalhe

Fragâncias de uma paixão
Espalham-se pelo ar

Como os corpos se colam
Num descobrir cego
Das vontades que extravasam
Mansamente ansiadas

Braços como raízes que entrelaçam
Num afagar almejado
Silenciado nos beijos meigos
Saboreados lentamente
Sem tempo no tempo

Não existe um mundo lá fora
Apenas o nosso, serenamente…


Fátima Porto

quarta-feira, 16 de maio de 2012




:;:;:;

…Onde vou?
Em busca da Felicidade
Outrora perdida

Porque vou?
A vida sorriu para mim
E eu
Vou sorrir para a Vida!...


Fátima Porto

AI MAMÃ UÉ




Vida
Que passa no tempo
Na solidão perdida no presente
De lágrimas secas
Onde o capim não cresce

Ai mamã ué
Que silêncio triste
Sem danças nem missangas
Com as marimbas tocando
D’um compasso certo

Terra grande
Choro minhas mágoas
Numa cubata vazia
Com a esperança na alma
Das rugas criadas

Nem pó se levanta
Da terra crispada
Tamanha é dor

Ai mamã ué…

Fátima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel




….

…Lentamente
Como brisa que passa
Os pensamentos voam
Um a um

Perdem-se no ar
Para não voltarem…


Fátima Porto

QUIMERAS VÃS




Sobe o céu vermelho
Cabelos soltos ao vento
Com os olhos postos no infinito
Sinto uma chaga rasgar o peito

É fusão de tristeza e nostalgia
Em que rolam lágrimas silenciosamente
Nos pensamentos que fogem de mim
Em várias direções

Ah como gostava de estar onde não estou
Encurtar distâncias no espaço e tempo
E no ponto mais alto abrir os braços
Alcançar o que não consigo

Gritar bem alto quimeras vãs
Que torturam minha alma
Numa solidão escura, sufocada

Mortifico meus sentimentos nesta dor
O silêncio é minha companhia…


Fátima Porto

ALMA QUE VÊ




Quero falar
Queremos dizer sentimentos tolhidos
Mas não nos deixamos

Ficará para mais tarde
Pois agora vamo-nos olhar
E existe tanto para falar em silêncio

Nossas mãos não são suficientes para calar
Apenas beijos meigos e saudosos
Ansiosos de tanto querer

Olho-te na alma
E vejo o que nem imaginas
Mas calo porque serás tu a dizê-lo
Um dia olhando a minha alma…quem sabe

Aprendi
Pois é esperando no silêncio
Com tristeza e vendo de longe
Que a minha estrela poderá brilhar…

Fátima Porto

terça-feira, 15 de maio de 2012

PRESSENTIMENTO




Tua mão que se estende
A minha que a procura
Teu corpo nu
Que aquece o meu na paixão
Acende a chama
Num desejo
De sentir anseio
Sem te ver

Meus olhos cegos
Pressentem
O que a alma
Sussurra de mansinho

Que doce ardor
Meu peito carrega
Por tua ausência

Em noites sonhando
De saudades em silêncio
Por não ver
Quem tanto desejo
Onde apenas resta o desalento…


Fátima Porto

segunda-feira, 14 de maio de 2012





….

…Que vazio e tristeza
Como eu queria que estivesses comigo
Sempre que preciso d’um abraço!...


Fátima Porto

sábado, 12 de maio de 2012




(...)

...No poema, soltei meus sentimentos ao vento, gritei meu sofrimento
No poema, calei lágrimas de minh'alma secas na
solidão
No poema, silenciei amor querido mas nunca esquecido!..


Fátima Porto.

OLHARES




Cruzámo-nos…
Nossos olhares
falaram por nós
Onde mil palavras
não diriam tanto

Almas se abriram
bem fundo
deixando voar
bem alto
o sentimento
e o querer!

Olhos transparentes,
expressivos...
que não se fecham
transmitindo gostos,
sonhos...

Passaria por ti
para nossos olhares
se voltarem a cruzar,
de longe,
mesmo que fosse por instante...


Fátima Porto




(===)

‎...Quero que minhas lágrimas se misturem com a chuva,
serão teus beijos no meu rosto,
vindos do céu!..


Fátima Porto



(….)

‎...Momentos feitos de rosas,
com espinhos, doridos
e que pétala a pétala vão caindo
perdendo toda a fragrância...

Momentos que se acabam!..


Fátima Porto




(…)
‎...Oh meu coração, que vais sarando feridas, trancadas na solidão,
voa no pensamento dos sonhos
que um dia alcançarás!..


Fátima Porto

sexta-feira, 11 de maio de 2012





…..

Amor…
Quanto mais motivos tiverem para silenciar
Mais presente estará…


Fátima Porto

SEQUÊNCIA




Solto-me
Sem me perder nas palavras
Que deixo voar em sentimentos
Como cabelos ao vento

Voam vírgulas, reticências
Sem me afundar nas pedras que piso
Para não pôr pontos finais
Na solidão dos meus pensamentos

Tudo possui sequência
Numa alma calada em silêncio
Deixando ondular o corpo
Na maré dos devaneios na melancolia

E assim vou com o vento
Meu irmão na tristeza
Sem ter um ponto para parar…


Fátima Porto

SIM...




Sim,
Quero sentir o teu abraço
Leve, suave
Que me envolva

Sim,
Sentir as tuas mãos
Num aperto doce no meu corpo
Colando ao teu

Sim,
O desejo e a vontade
De dois seres se fundirem
Fazendo extravasar o amor

Sim,
Não quero perder nosso sonho
Que nunca fez ter promessas
Mas que nos une mais

Sim,
Como faz falta o calor do abraço…


Fátima Porto

quarta-feira, 9 de maio de 2012

MEDO




O medo é inimigo
Quando é imaginário
E vive dentro de nós

Temos
Medo de viver
de morrer
de acordar
de adormecer
de sofrer
de ser feliz

Por medo
Deixamos de viver
passamos a sobreviver
deixamos de lutar
tornamo-nos cobardes
não somos felizes
vivemos infelizes

Coisas que deixamos de fazer por medo
medo que existe dentro de nós

Nós próprios criamos e alimentamos
Pois na nossa vida algo correu mal
Ficamos com medos que volte a acontecer
Porque restam feridas difíceis de sarar
E muitas vezes deixa-se de lutar

Esse medo vive na nossa imaginação
Medo que nos faz sofrer

Deixa de sobreviver
E volta a viver...

Com este medo ninguém resiste…


Fátima Porto

DOR SOFRIDA




Destapa a cara da máscara
De muros corrompidos
Da dor

Com voz embargada
Lágrimas secas
Onde o vento trespassa

Num corpo oco
Com amor sofrido
Ninguém vê a angústia
O sofrimento

Apenas a indiferença
De um rosto de máscara
Onde dilacera em fuga
Um peito fechado
Trancado

Busca de uma luz
Que se apaga lentamente
Mas a máscara não mostra
Que os olhos também se fecham
Porque já nada vê
E calam em fuga....


Fátima Porto

OLHA...




Olha bem dentro dos meus olhos
Olha e procura o meu coração

Olha o espelho da minh’alma
Olha a nossa vontade calada

Olha meu grito que sinto abafado
Olha é silenciado com um beijo teu

Olha como sinto o calor d’um abraço
Olha e descanso a cabeça no peito teu…


Fátima Porto

terça-feira, 8 de maio de 2012

QUERO-TE




Quero-te para mim
No total do fascínio
Mansamente degustado

Quero-te para mim
Como se sentisse teus beijos
Percorrerem meu corpo

Quero-te para mim
Em devaneio desejado
Num passado presente

Quero-te para mim
Na descoberta de trilhos
Desvendados para o futuro

Quero-te para mim
De verdade e sempre
Mesmo que ausente…


Fátima Porto

CHUVA D'AMOR




Chove gotas de tristeza
Que invade minh’alma
Pois esventra mágoas de ansiedade

Sinto teus carinhos na distância
Sussurrando palavras meigas
Como sedento de meu corpo

Oh chuva que me invade
Serenando como beijos teus
Em sorriso leve e doces
Da vontade de tua presença

Tuas mãos em carícias mil
Em meu cabelo solto, molhado
Corpos colados, que se encaixam
Pelo amor extravasado…


Fátima Porto

segunda-feira, 7 de maio de 2012

CRUZ DA VIDA



Oh vida
Que nos fazes
Tropeçar
P’los teus caminhos
Tentando
Que as quedas
Atenuem nossas dores...

Oh vida
Que nos fazes
Subir
Ao mais alto monte
Carregando
A nossa cruz...

Liberta-nos das angustias,
Dos sofrimentos,
Das lágrimas secas,
E da voz
Embargada
Num grito sufocado!

Cruz da Vida...

Alivia-nos...


Fátima Porto

MORTE NA PRAIA




Vidas cruzadas
Horizontes sem medidas
De encontros e desencontros

Numa praia deserta
Sem que âncoras os parassem
Ficaram frente a frente sem alma
Em histórias perdidas no tempo

Cascos mortalhados no ondular
Ou nas areias finas onde se afundam
Perderam-se na idade
No sal das lágrimas de mágoas que os corrói

Semelhante juntos tivessem amado em vida
Assim morreram lado a lado
No silêncio de uma praia qualquer, abandonada…



Fátima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel

JANELAS DA MINHA TERRA




Vejo-te por janelas sem vidro
D’uma imaginação real
De portas abertas à paisagem imensa

Meu pensamento voa em ti
Nas noites iluminadas pelas estrelas
Até ao raiar de um novo dia

Da minha janela contemplo o mundo da minha terra
Onde saboreio odores inebriantes
Sulcando trilhos encarnados
Descendo rios agitados
Na direção do arco-íris no horizonte

Janela da minha terra
Quero-te sem vidros para sentir na alma
O viver de um povo ressurgir
Como bálsamo de tanta tristeza

Janela onde vejo minha terra
Que dá vida e esperança…


Fátima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel

domingo, 6 de maio de 2012

PARA TI MÃE




Mãe palavra suave ao coração
Que encanta e traz alegria

Mãe significa paz e amor
Sua dedicação, sofrimento
Que tudo vence e tudo perdoa

Mãe, Mulher corajosa
Que luta sem medir esforços
E não se curva diante das dificuldades
Para as vencer

Mãe, amor que encanta
Força que dá orgulho

Privilegiado de quem ainda a tem
Para poder retribuir todo o Amor
E força que um dia nos deu!...

Obrigada Mãe…


FÁTIMA PORTO

DESEJO




Que nunca se acabe
O desejo que há em mim
Nem o teu cheiro
Os beijos na avidez de lábios suaves

Pois minha pele aqueça
E que a tua extravase
O que neste momento
Desejo de teu desejo

Quero sentir o sabor
De um amor crescente
Vivo, sentido

Sempre presente
E consentido…


Fátima Porto

sábado, 5 de maio de 2012

CONQUISTAR ASAS




Faço castelos na areia
Numa praia por inventar
Olhando o mar no horizonte

Deixo voar meus pensamentos
Pela brisa que passa por mim
Em pétalas perfumadas de sorrisos
Que vogam nas ondas mansas

Quero voar também
Ir para terras distantes
E levar a esperança na alma
Alva, como a espuma do mar

Deixem-me conquistar asas
Nos desejos e vontades
E soltar meus quereres
Na alegria de uma praia qualquer…


Fátima Porto



...Oh não me esqueci de ti...
É quando me encho de sorrisos nas flores
Quando mais me lembro

Tua fragrância na minha alma
Abraça meu Ser...



...Quem disse que o Tempo ajudava a "esquecer"...
É porque nunca conheceu um ABRAÇO !