sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

ESCREVO…




Palavras que sinto
E que não digo
Sentimentos tidos
Mas contidos
Um olhar na distância
Para que se transforme em perto

Ah escrevo…
Porque minha alma grita sem eco
Como no sótão da vida
Pois em segredo ficam
Lamentos esquecidos
Feridas tapadas

Escrevo
Em boca calada
Mas olhar atento
Páginas serenas
Como brisas que passam
Em saudades da vida
Que matam o peito

Escrevo…
Porque corre-me sangue nas veias
De uma família que escreve também
Deixando-me por herança
Nem jóias, nem fortunas
Mas o gosto e saber escrever…


Fátima Porto
In “ecos d’alma”
Texto registado e protegido pelo IGAC

1 comentário:

  1. Eu gosto de escrever. Talvez eu nem saiba, mas gosto de escrever que ao contrário de ler, mas aqui nesta página a leitura apresenta-se de forma agradável, mesmo para mim que não sou um amigo declarado da mesma.

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar

AO TELEFONE TUA VOZ, NOSSO DESEJO