segunda-feira, 19 de agosto de 2013

PORQUÊ...

PORQUÊ...

Nos silêncios das noites
Teus braços me envolvem
Em doces pensamentos

Quando uma lágrima rola,
Uma brisa toca meu rosto
Como uma carícia tua

Sempre que o sol se despede,
Engulo uma dor na minh’alma
Em mãos vazias

Quero gritar as mágoas que sinto
Para o vento as levar,
Mas a voz oculta-se no coração

Queria teus olhos,
Para que lessem meus desejos mais profundos,
Pois só eles sabem desvendar

E uma voz serena
Sussurrando palavras de prazer
Em momentos que páram no tempo

Mas ah distância desleal,
Que usas a saudade que dói
Na solidão d’uma ausência

Porquê?

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

RASAS E ESPINHOS