sexta-feira, 15 de agosto de 2014

EM NOITES DE LUAR

EM NOITES DE LUAR

As noites longas de luar,
Sabem ao cheiro das mangueiras
P’la brisa que corre
Pintada pelos campos de algodão

Em noites de luar,
Onde sinto o perfume das praias calmas,
Deitada na areia molhada,
Contando as estrelas brilhantes do céu

Nas noites de luar,
Oiço trazidos p’lo vento,
Sons da minha terra
Entoados à volta de uma fogueira

Noites de luar,
São noites de enfeitiçar,
Corpos ondulantes
Vibrando p’los batuques,
Batendo os pés no pó da terra vermelha
Ao compasso das palmas, ecoando

Magia das noites de luar
Tem cheiros e sabores
Que minh’alma não esquece…

Fátima Porto


Sem comentários:

Enviar um comentário

NÃO MOSTRO MEU OLHAR