quarta-feira, 6 de agosto de 2014

SERENIDADE

SERENIDADE

Promessas ditas,
Almas caladas,
Em beijos esperados

Frenesis sossegam-se
Nas mãos dadas em silêncio,
Pelo nosso momento
Onde o tempo não é certo,
Mas que virá um dia

Teus lábios queimam junto aos meus
Na ansiedade de tudo querer,
Pois olhares falam mais
Que nossas bocas em silêncio

Corpos colados num abraço
Num sentir de corações acelerados,
Para que meu tiritar não se revele
De tanta paixão que existe

Quanta calma vive na Alma,
E a serenidade passeia em nós….


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário