segunda-feira, 4 de agosto de 2014

JANELA DE POESIA

JANELA DE POESIA

Janela dos meus encantos,
Por onde ela vagueio
Num doce imaginar

Uma brisa
Toca meu rosto,
Como carícias tuas
Trazidas pela saudade

Olho o mar,
Serenamente,
Como quem espera mensagens,
Trazidas p’la espuma das ondas
À areia fina da praia

Meu pensamento voa,
E nada encontra,
Apenas uma meiga fantasia,
Através dum encanto
Que faz de ti
Minha Poesia...

Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

POUSAS AO DE LEVE