domingo, 3 de agosto de 2014

SOU...

SOU…

Sou Poesia que nada vê
Em papel branco,
Um poema oculto
Em sentimentos calados
De um amor secreto

Sim, sou apenas alguém
Que querer amar sem amarras…

Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário