domingo, 10 de agosto de 2014

NO ECO DUM BÚZIO

NO ECO DUM BÚZIO

Guardei -o fundo
No mar do meu Ser,
Bem íntimo de minh’alma,
E coberto de saudades
Da praia onde o encontrei

Nas minhas recordações,
Navega seguro,
Como as areias quentes
Dos abraços perdidos de mim

Deixo-me levar em sonhos,
Aconchegando-me neles
Até adormecer,
Sem ouvir o meu eco

Em silêncio,
Visto memórias guardadas
Tentando reaver búzios perdidos,
Com um corpo despido de nada
Porém, aquecido serenamente,
Num abraço somente de mim…


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário