segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

LUA





Como nos amámos
à luz do luar
em beijos sôfregos
de desejos incontidos
num querer desmedido
reluzindo nossos corpos

Como te quis
quero
e quererei
cada vez mais

Nossa ânsia voraz
de sermos um só
sob a tua luz
mostrando os contornos
de caminhos
por nós percorridos
desvendados

Como me desejaste
e desejas
cada vez mais

Lua
luz mágica
luz de prata
luz que encanta
e mata quem ama
Neste amor ardente

Oh lua que ciumenta que és
Escondeste-te para não ver nosso amor
Pois aumenta na distância
Voando com a brisa que passa
E trazida p’las ondas da maré


Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

QUANDO NOSSAS BOCAS SE UNIREM