sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

MINHA SOLIDÃO




Descanso
só dentro de minh'alma
do frio que me embala
nesta solidão

Memórias que não se apagam
feridas que sagram
e eu só

Dor latejante
que me persegue
e corrói

Quero deixar de pensar
fechar os olhos
e tentar esquecer
páginas d'um livro
que não foram apagadas
e que amortalham
e ainda rasgam
vidas que não vivi

E só
vou-me aquecendo
dos restos
para não dizer que morri…


In” CAPAS” - Fátima Porto
ATENÇÃO: Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU MULHER E MISTÉRIO