sexta-feira, 27 de junho de 2014

ALTAR DE RUÍNAS

ALTAR EM RUÍNAS

Perderam-se anos,
Esquecendo-se no tempo
O altar das preces,
De lágrimas, de dor,
Sorrisos e alegrias

Templo um dia amado,
Hoje com telhado de céu estrelado,
De imagens sagradas em pensamento,
Onde a paz é sentida
Nas paredes desfeitas em sofrimento

Tendo solidão por companhia,
Dedicado ao esquecimento,
Penitenciam-se as almas
Com doridas mágoas,
Nas ervas nocivas que crescem

Como os ventos passam ligeiros
Deslizando p’las janelas escancaradas,
Ficando apenas a lembrança
Das orações tidas,
Quando repicavam os sinos…


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA