domingo, 15 de junho de 2014

AMOR VIRTUAL

De amor fala-se
Mas amor não fala
Amor sente-se,
Amor expressa-se

Se o amor é virtual
Não sei onde mora
Apenas sei que é distante

Não fala minha língua
Nem eu a dele,
Mas pra quê idioma
E pra quê falar

Não precisa de língua
A dicção é universal
Sente-se nos olhos
Em atitudes,
E no carinho

É no conjunto de imagens
D’um computador?
Uma velha foto?
Na voz?

Ama-se a alma,
Ama-se a essência,
Ama-se o virtual!



Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

RASAS E ESPINHOS