terça-feira, 24 de junho de 2014

SENTIR EM MIM

SENTIR EM MIM

Vejo,
O que em mim resguardo,
No silêncio da noite
Quando o meu pensamento voa

Quero,
Correr leve como a brisa,
Esvoaçar ao vento,
Abrir os braços e ser capaz gritar

Sinto,
Teu descansar em meu regaço,
Sem palavras, mas em ardor,
No sossego de nós dois

Oiço,
Tua voz num enleio,
Cingindo-me ao teu corpo,
Em labaredas de paixão

Caminho,
Em nosso leito d’amor,
Nos lençóis de teu perfume,
E enrugados nos beijos dados

Choro,
Lágrimas que queimam o peito,
De toda uma saudade profunda,
Como o mar imenso,
Que se perde no horizonte

E lá fora a brisa
Passa ligeira,
Falando do nosso amor...

Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

AO TELEFONE TUA VOZ, NOSSO DESEJO