sábado, 4 de junho de 2011

ALGURES


Se um dia

nos cruzarmos

pela primeira vez

Não importa

em que parte do Universo

Longe..

Perto...

Ou mesmo

ao virar de uma esquina

Não falaremos

Nossos olhos o farão

E nosso dsejo

se encantará

Por nós

Queremo-nos

em silêncio

em noites frias

E de solidão

Sonhando baixinho

o envolver quente

de nossos corpos

em tons suaves

de melodias

Estando....

Eu em ti e tu em mim

sendo um corpo só

Não importa onde

mesmo sendo

Algures....

1 comentário:

  1. Com este poema o amor me acariciou com o seu olhar
    Senti-o como uma brisa esvoaçante a tocar em uma flor . Ele rega com ternura de sentir , quando o SER grita no silêncio da saudade ....
    Ele acalma , embala e embriaga na doce loucura do SER , imerso na insana e mesmo pérfida paixão.
    Ele me alimentou de sonhos e quereres.E cá nas noites frias me dá o o fogo dos sonhos alados.
    Rasgou o céu no infinito desejado de um triste passado , presente inflamado e um futuro ..tão almejado...
    Este sim é , coisa mais bela e inspiradora.
    o amor me encontrou e sob um terno olhar me falou...murmurando obstinado ,dizendo-me meio de lado ...que era para toda eternidade...este sono alado.

    ResponderEliminar

RENDER-ME AO CASTIGO