segunda-feira, 8 de julho de 2013

PALAVRAS EM CORRENTES

PALAVRAS EM CORRENTES

Lavam-se as palavras,
Nuas,
Cor de fel,
Para não doerem

Gosto amargo,
Nos silêncios de olhares fugazes,
Enquanto se cala,
Num tempo perdido

Oh, quantas palavras por dizer,
Em olhos que se fecham,
E que não vêem o clamor da Alma

Ah palavras, que se acorrentam,
Elo a elo,
Em sentimentos surgidos
Quase de magia

Correntes que prendem,
Unem,
Um todo e em tudo,
Querendo,
Desejando com ardor

Palavras, que uma a uma,
Desenham e desabrocham
O fascínio do Amor

Elos de um tempo achado,
Mesmo em silêncio dos olhares,
Não murchem nas palavras,
Nem se partam

Pois os beijos falam
No aconchego d’um abraço...


Fátima Porto
Texto registado e protegido pelo IGAC

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRIR-ME...