terça-feira, 8 de maio de 2012

CHUVA D'AMOR




Chove gotas de tristeza
Que invade minh’alma
Pois esventra mágoas de ansiedade

Sinto teus carinhos na distância
Sussurrando palavras meigas
Como sedento de meu corpo

Oh chuva que me invade
Serenando como beijos teus
Em sorriso leve e doces
Da vontade de tua presença

Tuas mãos em carícias mil
Em meu cabelo solto, molhado
Corpos colados, que se encaixam
Pelo amor extravasado…


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA