terça-feira, 15 de maio de 2012

PRESSENTIMENTO




Tua mão que se estende
A minha que a procura
Teu corpo nu
Que aquece o meu na paixão
Acende a chama
Num desejo
De sentir anseio
Sem te ver

Meus olhos cegos
Pressentem
O que a alma
Sussurra de mansinho

Que doce ardor
Meu peito carrega
Por tua ausência

Em noites sonhando
De saudades em silêncio
Por não ver
Quem tanto desejo
Onde apenas resta o desalento…


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário