sexta-feira, 11 de maio de 2012

SEQUÊNCIA




Solto-me
Sem me perder nas palavras
Que deixo voar em sentimentos
Como cabelos ao vento

Voam vírgulas, reticências
Sem me afundar nas pedras que piso
Para não pôr pontos finais
Na solidão dos meus pensamentos

Tudo possui sequência
Numa alma calada em silêncio
Deixando ondular o corpo
Na maré dos devaneios na melancolia

E assim vou com o vento
Meu irmão na tristeza
Sem ter um ponto para parar…


Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário