quarta-feira, 2 de maio de 2012

PORTA POR ABRIR




Os vidros da porta
Separam-me do mundo
À espera do brilho de uma luz
Para que se deixe abrir

Minha alma sente-se infeliz
Recordações acarretam trevas
Que me afastam de tudo
Para viver num universo de fantasias

Imaginações fictícias
Traçadas na minha solidão
Onde o silêncio domina
Regada por lágrimas vindas do coração

Espero que a porta se abra
E que a luz me venha alumiar…



Fátima Porto.
Fotografia : Adalberto Gourgel

Sem comentários:

Enviar um comentário