terça-feira, 22 de novembro de 2011

ENCONTRO DESEJADO


Suspende teu olhar
Ao me quereres
Nossos corpos se encontrarão
No mais puro deleite
Onde próprio Mundo
Só nos pertences

Flutuamos em quimeras
Por nós tidas
Abraços de ardores
Onde almas flamejam
Labaredas que incendeiam
Num encontro almejado

Toca tua mão na minha
Acaricia meu rosto
E verás que é realidade…


Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

QUANDO NOSSAS BOCAS SE UNIREM