terça-feira, 22 de novembro de 2011

ESTRELA-DO-MAR


Veio uma estrela-do-mar
Abeirar-se dos meus pés
Pensei
Trazer um segredo
Das profundezas do mar

A brisa estava calma
O mar calmo
Espraiava-se na areia
Com a estrela ao meu lado

Surpresa
Espanto
Medo
Senti naquele momento
Ao ver uma estrela
Perto dos meus pés

Peguei nela com carinho
Tal sua delicadeza
Segredo nada me trouxe
Foi um devaneio meu

Por instantes fiquei triste
Deixei uma lágrima rolar
Devolvi ao mar meu tesouro
A pequena estrela-do-mar



Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

PEDRAS DA CALÇADA