quinta-feira, 10 de novembro de 2011

SEGREDO ÀS ESTRELAS


Céu estrelado
Brisa suave
Arrepia minha pele
Tenho por companhia
A solidão

Conto as estrelas
Uma a uma
Quero a mais brilhante
Para contar
Segredo meu

Um dia
Hei-de tê-lo comigo
Novamente
E minha alma elevar
Como para outra dimensão
Fosse

Passou tempo
Resguardo-me com o xaile
Aguardando
Aquecer o coração….

Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

É NA PENUMBRA