segunda-feira, 23 de abril de 2012

AO SABOR DAS ONDAS



Vais afundando
Levando quimeras perdidas
Sonhos largados no mar
Batidos pelas ondas
No teu casco envelhecido

Teu leme parou no tempo
Na bússola do sol que queima
Onde os motores enferrujados
Se esvaem lentamente
Nas águas silenciosas que invadem

Quantos mistérios guardados
Perpetuados dentro de ti
Que ficarão mergulhados
Num mar qualquer
Baloiçando ao sabor das ondas
E perto de um praia, talvez…



Fatima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO