terça-feira, 24 de abril de 2012

NÃO A REGARAM




…A rosa secou com o passado
Caíram pétalas
E o perfume esvaiu-se

O orvalho da noite
Ou lágrimas disfarçadas em chuva
Não a regaram

Apenas foi um botão de rosa
Que mal abriu em flor
Amareleceu e murchou

Pétalas, uma a uma
Foram ciando, como choro
Surdo e silenciando aos poucos

Mas mesmo ressequida
Não perdeu sua beleza d’outrora
Indiferente, sem o seu odor…



Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

É NA PENUMBRA