sexta-feira, 27 de abril de 2012

PENAS SOLTAS




Quantas penas de meu penar
São levadas p’la brisa
Deixando nus meus sentimentos

Soltam-se angústias
Lágrimas doridas
Em vendavais serenos
D’um silêncio prostrado em mim

Esventro em cada pena
Num peito dilacerado
Desnudando minh’alma

Que se soltem raivas amordaçadas
Em gritos longínquos
Levados nas asas das penas de meu penar…



Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

FAZ FALTA OUVIR O CORAÇÃO