sábado, 7 de abril de 2012

TRISTEZAS ESQUECIDAS




Abri o velho baú
Onde guardei tristezas
Deixei minha alma chorar
Com gotas de orvalho
No silêncio da noite

Amanheceu
Com olhos marejados
O sol secou as mágoas
Convertendo em arco-íris
De uma esperança esquecida

Meus olhos sorriem
De tanta felicidade
A noite levou meu desgosto
Que matava a minha alma…



Fatima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO