segunda-feira, 30 de abril de 2012

SEM SOM



Piano despido
De choros e lamentos
Em acordes
Trinados de lágrimas

Já não se ouve melodias
Percorrendo a escala
Em oitavas
Até ao suave da alma

Foste-te despindo lentamente
Dos bemóis e sustenidos
Numa pauta de emoções
Deixando o lamento emudecer

Resta somente um piano fútil
Calou para sempre sentimentos
Que um dia fez vibrar…



Fátima Porto

TOQUE DE LEVE




Estendi minha mão
Cheia de tudo
Para o sabor do abraço

Um calor que estremece
Na raiz da alma
Que se estende pela seiva de emoções

Poisas ao de leve
Sussurrando pela brisa
Toques de ardor

E voas
Para bem longe
Deixando a saudade no ar
Na minha mão a beleza
Uma tristeza de nada…


Fátima Porto

domingo, 29 de abril de 2012

SOLIDÃO DO PORTO




Perdi meu porto de abrigo
Ao entardecer
Nas águas calmas dum rio

Na solidão gritei
Lágrimas num horizonte
Que arrefecia como eu

Abracei-me aos últimos raios
Aquecendo minh’alma
Das feridas que cozia com teu perdão

Mais um dia se esvai
Contendo meu silêncio
Que se esgota de emoções
Olhando a janela do mundo

Desejo descobrir meu porto
Desaparecido na imensa dor…


Fátima Porto
Fotografia : Luis S. Marques

VESTIR PARA TI




Saída das rochas
E do mais puro agreste
Quero-me vestir para ti
Na alma que sou

Rica de sentimentos
Em tesouros por desvendar
Desnudo meu espírito
À espera que encontres

Trajo as mais ricas vestes
Saída do nada
Ocultando meu rosto
Para que não vejas meus olhos
Falando por mim

As pedras que rodeiam
São a minha solidão
Amargas, doridas e secas
Mas quero vestir-me para ti…


Fátima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel

VOU ESCREVENDO




Abro o livro das ideias
Dentro da minha solidão
E as palavras soltam-se

Junto-as uma a uma
Deixo voar emoções
Em voz calada no silêncio

Páginas são viradas
Deixando o passado
Mas vivendo o presente
Nas folhas brancas

Sentimentos esculpidos
No calor da alma
Fazendo ecoar amores contidos

Livro que nunca se fechará
Mesmo que fique inacabado…



Fátima Porto

sábado, 28 de abril de 2012

MISTÉRIO NAS CUBATAS




Cai a noite
Nas cubatas em silêncio
Onde existe mistério

Terra dos enigmas
Que se apoderam da alma
E que contagiam o Ser

No ermo do morro
As cubatas quase tocam o céu
Pedindo pela chuva que não cai
À terra crestada num capim já seco

Sons de canções doridas do passado
Embalam teu interior contido
Alguma vez cantado à luz do dia

Os batuques não se ouvem
Quissanje calou-se
As cubatas ficaram desertas…


Fátima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel

DESEJOS OCULTOS




Fixas meus olhos
Em desejo
Pedindo calado
Um beijo
Suave, ansiado
No toque dos lábios

Em silêncio
Corpos se colam
Em odores que se misturam
Rogando mais

Desnudam-se
Sentimentos
Em mãos que deslizam
Por caminhos ocultos
De peles nuas

Desejo
De um momento a dois
Transformado
Num corpo só…


Fátima Porto

MINHAS MÃOS




Estendo as mãos
E estão vazias

Um grito
Aperta-me o peito
Abraço-me
Olho-me ao espelho

As minhas mãos
Continuam vazias

Sento-me no chão
E sinto frio
Frio, tanto frio

Mas as minhas mãos
Continuam vazias

Solta-se um grito sufocado
Meu corpo estremece
Semelhante a um acordar do sonho

Vibra de emoção
Suado,
Como depois de amar
E de ser amada

E as minhas mãos

Cheias de Amor
Como Eu...


Fátima Porto

sexta-feira, 27 de abril de 2012

PÉTALAS DE LÁGRIMAS




Remexi a areia
Ao plantar uma rosa
Cravei espinhos de dor
No seu perfume suave

A brisa correu ligeira
Serenando as tristezas
Esperando que o mar levasse
A rosa das minhas mágoas

Alva rosa como a alma
E a espuma do mar
Deixou cair pétalas de lágrimas
Na fria e calada areia da praia

Vai caindo a noite
Na praia de uma vida
Fechando os olhos no silêncio
Voa a tortura com um sopro…



Fátima Porto

SALINAS EM OUTRA GRANDEZA




Perco-me por minhas terras
Em contrastes do verde da paisagem
Com o céu salpicado de nuvens

Paro num lugar sobrenatural
Como se estivesse em outra dimensão
Até mesmo em outro mundo

Tudo é diferente
Deste as nuvens, ao escasso arvoredo
De aspeto grandioso
Mas admirável

Um Mundo dentro de outro Mundo

Salinas do Sumbe
Beleza da natureza
Maravilhosas sem igual
Para quem vê e sente…


Fátima Porto

SERENIDADE




Quanta serenidade irradia
Observar longínquo
Do pensamento dividido
Num presente passado

Sentimentos revoltos
Provocam um olhar parado
Esquecido de si própria
Nas lembranças como recordações

Memórias amachucadas
Desafiando a calma exterior
Onde uma alma chora
E transborda sangue
De um rio carregado de queixumes

Mas as ideias baralham-se
Numa serenidade de loucura…



Fátima Porto

PENAS SOLTAS




Quantas penas de meu penar
São levadas p’la brisa
Deixando nus meus sentimentos

Soltam-se angústias
Lágrimas doridas
Em vendavais serenos
D’um silêncio prostrado em mim

Esventro em cada pena
Num peito dilacerado
Desnudando minh’alma

Que se soltem raivas amordaçadas
Em gritos longínquos
Levados nas asas das penas de meu penar…



Fátima Porto

quinta-feira, 26 de abril de 2012

SEM PAR



Palavra a palavra
Voam em bando sem destino
Num bailado desafinado
E sem música

Pensamentos vãos
Onde quimeras ocas
Rodopiaram loucamente
Esquecendo a dança

Ideias deixaram de ter par
Nos acordes melancólicos
Arrefecidos pela distância
Em melodia de solidão

Fugiram as palavras
Descompassadas para um canto…



Fátima Porto




…Penso,
A vida é como a cebola
Vai-se tirando camada a camada
E às vezes…
Chora-se!...


Fátima Porto

POR DEGUSTAR




Estala
Quebra-se
Derrama-se sentimentos
Num toque suave

Do que sobrou
São vidros que ferem
Emoções sentidas
Atiradas ao vento

Guarda-se o sabor
No deleite de um vazio
Onde tudo é nada
Nem de um vinho por degustar

A mesa desocupou-se
Cheia de cacos…


Fátima Porto

AMOR/SAUDADE




…Pensei,
Que devemos dar mais valor
Às pessoas que estão à nossa volta

A Saudade,
Não as vai trazer de volta
E fica sempre um vazio!...


Fátima Porto

PALAVRAS




…Palavras vãs
Palavras veladas
Palavras frias
Palavras que ferem
Palavras em punhais
Palavras traiçoeiras
Palavras que esventram
Palavras que torturam
Palavras que justificam
Um doer num coração cansado…


Fátima Porto

quarta-feira, 25 de abril de 2012

ESPELHOS DE OLHARES




Olhos que se encontram
Que falam
Tateiam os corpos nus
Em palavras sentidas

Expressam momentos
Caricias queridas
Suaves abafos
Que só os olhos dizem

Fecho os olhos
Porque os conheces de cor
E pedem o que minha boca cala

No nosso silêncio
São as mãos que quebram tabus
Trilhando caminhos secretos
Em olhos ansiosos

E com os lábios no olhar
Embebedam-se beijos…


Fátima Porto



.Misturei fantasias
Resisti a tristezas
Convivi com incertos
Mas hoje subo meu caminho
Degrau a degrau,
A quem não me carrega…


Fátima Porto

SENTIR UM ABRAÇO



Quero sentir o abraço
Onde encoste a cabeça no ombro
Sinta o calor encher minh’alma
Vazia de palavras

Queria sentir um abraço
No silêncio do olhar
Sem promessas ditas
Apenas ter conforto

Sonhava sentir o abraço
Por breves devaneios
De teu corpo em meu enleio
Ledo e cego meu coração ficaria…


Fátima Porto

terça-feira, 24 de abril de 2012

NÃO A REGARAM




…A rosa secou com o passado
Caíram pétalas
E o perfume esvaiu-se

O orvalho da noite
Ou lágrimas disfarçadas em chuva
Não a regaram

Apenas foi um botão de rosa
Que mal abriu em flor
Amareleceu e murchou

Pétalas, uma a uma
Foram ciando, como choro
Surdo e silenciando aos poucos

Mas mesmo ressequida
Não perdeu sua beleza d’outrora
Indiferente, sem o seu odor…



Fátima Porto

COMO LIDAR...




Como lidar…
Se os sentimentos estão trancados
Deixando no peito uma dor?

Como lidar…
Se abafo minhas lágrimas
Para se ver meu sorriso?

Como lidar…
Se fecho os olhos
Porque a boca fala
O contrário que eles querem?

Como lidar…
Na vontade e desejo
Do calor num abraço contido?

Como lidar…
Em lábios suaves
De um beijo com sabor a pouco?

Como lidar…


Fátima Porto

MINHA LIBERDADE




Voo nas asas do amanhecer
Num planar de pensamentos
Atirando-me para o mar da saudade
De águas calmas mas doridas

Quero minha liberdade
Num horizonte aquecido pelo sol
Pois meu corpo está frio
De emoções num coração fechado

Deixem-me voar
Para além do infinito
Quero gritar, meus ais abafados
Que os calei sofrendo
Sem lágrimas…


Fátima Porto

BÚZIO PERDIDO




Guardei -o
No mar do meu Ser
Bem profundo na alma
Coberto de saudades
Da praia d’onde o encontrei

Navega seguro
Nas minhas recordações
Como areias quentes
Em abraços perdidos em mim

Aconchego nele
Deixando-me levar em sonhos
Até adormecer…


Fátima Porto

segunda-feira, 23 de abril de 2012






…A noite tem medo da escuridão
Para a iluminar
Semeou estrelas no céu!...


Fátima Porto

NUVENS




Deixei entrar nuvens de amor
No quarto da minha solidão
Tristemente vazio

Algodão doce em nuvens
Para um coração esventrado
Onde o tempo não faz as feridas sararem

Nuvens suaves
Que levam minhas mágoas
Caídas no regaço despojado

Meigas nuvens
Que acariciam as palavras mudas
Fechadas no armário do peito

Nuvens de desejos
De abraços nus e quentes
Que meu corpo esfria…


Fatima Porto



Saudade,
Palavra que dói no peito
Que faz quer estar, onde não se está

Saudade,
É uma estrela que brilha
Em noite de escuridão

Saudade,
É uma brisa que passa
Dizendo: estou aqui!...


Fatima Porto




…Lágrimas,
São a tinta com que escrevo
Nas folhas brancas
Cheias de palavras da Alma!...


Fatima Porto

AO SABOR DAS ONDAS



Vais afundando
Levando quimeras perdidas
Sonhos largados no mar
Batidos pelas ondas
No teu casco envelhecido

Teu leme parou no tempo
Na bússola do sol que queima
Onde os motores enferrujados
Se esvaem lentamente
Nas águas silenciosas que invadem

Quantos mistérios guardados
Perpetuados dentro de ti
Que ficarão mergulhados
Num mar qualquer
Baloiçando ao sabor das ondas
E perto de um praia, talvez…



Fatima Porto
Fotografia : Adalberto Gourgel

domingo, 22 de abril de 2012

INTERPRETAÇÂO




Não interpretes mal…
Tudo está contra a luz
Assim como os sentimentos
Abafados, calados
Como os meus gritos

Não interpretes mal…
Mas apenas se vê a silhueta
É uma incógnita
Que dá para pensar, talvez
Em silêncio

Não interpretes mal…
O eco não tem retorno
Mesmo para quem espera
À contra luz para não se ver
Até se apagar de vez
Na solidão….



Fatima Porto




…No livro do passado
Escreveu-se o presente
Que nos dará Esperança
Para o Futuro

A Vida é feita de incertezas
Num preparo de certezas para a Felicidade…


Fatima Porto





…O Ser Humano é admirável
Aquele que pode sofrer intensamente
Também é capaz de sentimentos de intensa alegria!...


Fatima Porto




...Lágrimas,
Palavras ditas pelo coração
e que os olhos não conseguem calar!...



Fatima Porto.

CAMINHO CERTO




…Há tanta beleza no mundo
E num dia de domingo
Posso sentir coisas novas
Em essências perfumadas
Da alma num quer mais

Em perfeita doação
Meus sentimentos voam
Num infinito pleno
E olhando o céu
Procuro a minha luz

Não tropeçarei
Apenas desejo o caminho certo…


Fatima Porto





…Às vezes é mais fácil dizer que se está bem
Do que tentar explicar o porquê de não estar…


Fatima Porto




…É fácil fugir dos “monstros” criados à nossa volta
Pior é fugir dos criados dentro de nós próprios!...

Fatima Porto

sábado, 21 de abril de 2012

PENSANDO




Descanso
Penso
Sonho
Fecho os olhos …e imagino

Gotas de chuva a cair
Como beijos a tocar no rosto
Em carinhos meigos
Suaves como a brisa
Que levam a minha fantasia

Quimeras com sabor a perfume
De pétalas soltas ao ar
Num eco sem retorno
Em profundo silêncio
Na minha solidão…


Fatima Porto

SEGREDOS DO TEMPO




Olho o tempo
Que passa ligeiro
Rodando nos ponteiros
Fazendo soar tic-tac
Como o bater do coração

Gira e gira
Mas o tempo não passa
Como se os ponteiros voassem
Deixando o tempo parado
Numa agonia sem fim

Vejo e torno a olhar
Se algo de momento se transformou
Mas o tempo passou com a brisa
Leve de mansinho
Que nem em mim tocou

Oh tempo por onde andas
Que passas parado em silêncio
Conta-me teus segredos ligeiros
E fazendo tic-tac ao meu ouvido…


Fatima Porto




...As lágrimas podem durar um noite,
mas a alegria chega ao amanhecer!...


Fatima Porto


…O olhar não mente
A dor fortalece
Chora-se sem lágrimas
As palavras têm força
Sonhar não é idealizar
Hoje é o reflexo de ontem
Fazer é melhor que falar
Os verdadeiros Amigos permanecem
Ter Amigos é necessário
Sermos nós mesmos sem fingimentos
Beleza não está no que vemos, mas no que sentimos
E existe um grande segredo na Vida que se chama: VIVER!...



Fatima Porto




...Ponha o Sol nos seus Sonhos,
e eles jamais deixarão de brilhar!...


Fatima Porto




...A Vida é feita de MOMENTOS...
e nada é feito por acaso!...


Fatima Porto.




…É através do sorriso que se vê
O quanto se é forte
Mas é pelo olhar que se sente
A Felicidade!...


Fatima Porto

sexta-feira, 20 de abril de 2012

PASSADO ANCORADO




Ancorado numa praia qualquer
Navio sem destino e sem rumo
Adornaste vazio de ideias
Perdido no tempo

Pescam saudades
No mar profundo
Sem ondas, em calmaria
Aquecido pelos braços do sol

Serves de muro numa idade esquecida
Em ferros entorpecidos pelos anos
E de quantas lágrimas derramadas
Misturadas nas águas desse mar imenso

Praia marcada
Em areias palmilhada
Por juventudes levadas pela brisa
Dos tempos de outrora ….


Fatima Porto




...Sonhos...Sonhos..como é bom viver de quimeras
quando a solidão apenas traz desilusão!..


Fatima Porto

BEIJOS NO OLHAR




Beijos que sentem o olhar
De um perfume sublime

Beijos com lábios em pétalas
De vontades transformados

Beijos no doar mesmo de espinhos
Suavizado com o orvalho da manha

Beijos dissimulados em flores
Levados na distância do pensamento

Beijos onde sentimentos
Falam palavras sem explicação no puro silêncio…



Fatima Porto



...Quando quiser chamar um Amigo
não grite com a voz
mas sim com o coração
porque ele não conhece Distâncias!...


Fatima Porto

O LIVRO E EU



Sou como um livro

Existem aqueles que só se interessam pela minha capa
Mas também quem “viaje” comigo

Há pessoas que nunca tentaram
Nem nunca quiseram “ler-me”

Outras quantas, soltaram seus sentimentos
Depois de verem meus escritos

Mas também existem pessoas
Que apenas em mim procuram, palavas de consolo

Mas tal como um livro
Sempre trago algo de bom!


Fatima Porto




...Hoje acordei com a certeza,
que por mais que queiram,
ninguém vai tirar o meu sorriso!...


Fatima Porto



...Quando uma pessoa usa de SINCERIDADE,
é como um sapato de salto alto
mesmo enfeitado, faz doer!...


Fatima Porto.

PALAVRAS ESCRITAS E GESTOS