domingo, 6 de julho de 2014

TEU CORPO, POESIA NOSSA

TEU CORPO, POESIA NOSSA

É no teu corpo
Que vou desenhando letras,
Para um poema em nós

Com volúpia e emoção,
Sinto palavras queridas,
Percorrerem pelo silêncio,
Trilhos esquecidos na penumbra

Poema escrito num corpo,
Onde odores calados,
Se fundem nos beijos dados,
Suavemente em sintonia

Dedos serpenteando,
Alienados,
Permitindo reticências,
Interrogações,
Ao trocarem exclamações em ardor

Poesia em corpos que falam,
Querem,
Sentem,
Mas nunca um poema vazio de nada...


Fátima Porto

1 comentário:

RENDER-ME AO CASTIGO