sábado, 12 de julho de 2014

SOU ANGOLANA

SOU ANGOLANA

Sentimentos que calam fundo,
Lavando toda uma saudade,
Na tristeza do olhar

Fervilha o sangue p’la distância,
Da terra quente ao sol por,
Que um dia me viu nascer

Imagens d’emoções
Vão e voltam,
Fazendo lágrimas rolarem

Raças, credos e religiões,
Tantas e sem distinções,
Pois p’ra minha grandeza
É alma de ser Angolana...

Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO