quarta-feira, 16 de julho de 2014

TRISTEZA

TRISTEZA


Tristeza,
Que consome a Alma
E não me deixas sorrir

Trazes contigo
Dor em silêncio
A mortalha do corpo

Quero esquecer,
E fechar os olhos,
Como rasgar as folhas,
D’um livro
Ainda mal começado

Tristeza,
Fazes secar uma fonte
Quase sem água

Tudo em mim
Parou,
E se fechou
Na penumbra,
À espera de forças
Para recomeçar sem mágoas…

Fátima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU MULHER E MISTÉRIO