domingo, 11 de março de 2012

ABRAÇO-ME



Os dias não passam
São iguais
Em ausência presente
Na imaginação de querer
Onde palavras banais
Cheiram a ocas

Num olhar que ouve
Promessas caladas
No silêncio dos lábios
Onde torrentes de beijos
Enleiam nossas almas

Com vontade de um abraço
Dos teus braços em mim
Cinjo-me ao meu calor
Longe de ti
…..

1 comentário:

RENDER-ME AO CASTIGO