terça-feira, 27 de março de 2012

PENA SOLTA




Soltou-se uma pena
No voar da minha imaginação
E em tuas mãos caiu

Leve e doce
Que nem as raízes cortaram
A seiva que extravasa vontades
De uma pena solta de mim

Guarda a minha pena em ti
No lugar mais secreto
Mais alvo onde se guarda o Amor

Quero-te de manha à noitinha
Como o calor do sol-pôr
Que o luar seja nosso aconchego
Enquanto acordados nas noites…



Fatima Porto

2 comentários:

  1. .

    O nossos poemas são penas que voam ao leo. Pousam onde estão os alvos receptivos dos que amam a poesia, os versos e os melhores sentimentos que o inspiraram...

    Grato pelas penas que espalhas em nossos corações de poetas!

    Lindos versos, Fátima!

    ResponderEliminar
  2. No lugar mais secreto.
    Sempre.
    Luiz Cláudio

    ResponderEliminar

FAZ FALTA OUVIR O CORAÇÃO