domingo, 25 de março de 2012

ESPERO-TE



Não existem refúgios
Mas só momentos nossos
Desejados e queridos

Olhos vêm
Numa discrição imaginada
Onde mãos tateiam
O gosto de sentir próximo

Tantas palavras
Tidas no silêncio de olhares
O calor de abraços
É mais intenso que sol no horizonte

Por isso espero-te
Sem olhar para trás
Pois mansamente virás
E me roubarás um beijo
Profundo…deixado…



Fatima Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

É NA PENUMBRA