sexta-feira, 2 de março de 2012

UTOPIA, NÃO!




Pensativa,
Vens ao meu encontro
Suavemente sem te ouvir

Levemente,
Dás um sopro na minha imaginação
Distante do corpo

Voltaste de um sonho
Jamais esquecido
Vontade de eternamente querer

Não me acordes
Junta-te a mim bem perto
Para sentirmos calor

Nada será utopia
Pois da intenção de quimeras
A certeza virá…

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO